FVM Learning

Nosso maior compromisso é compartilhar conhecimentos, somos simples mas não simplórios, astuto mas não pacóvio, nos posicionamos empenhados em mostrar o caminho para desmistificação do opróbrio em legítima defesa do conhecimento compartilhado. Eng. Jemerson Marques.

segunda-feira, 29 de junho de 2020

Equalizador Passivo 3 bandas com Controle de Graves, Médios e Agudos + PCI

Equalizador Passivo 3 bandas com Controle de Graves, Médios e Agudos + PCI

No post de hoje, iremos apresentar um simples circuito Equalizador de Audio passivo de 3 bandas, com componentes simples e fácil de montar, esse circuito é nada mais nada menos que um conjunto de filtros que divide as frequências determinada pelo tipo de componentes que estamos utilizando, como o conjunto de capacitores e resistores.
Esse tipo de circuito por mais simples que se pareça, ele é um circuito muito encontrado em projetos de alta fidelidade, como as mesas de som, os caixas ativos "cubos" para guitarra, violões, teclados e contra-baixo, etc. o que difere uns dos outros, em um contexto geral são as frequências que eles estão setadas, no caso de uso para instrumentos que tem uma frequência mais baixa, como os contrabaixo. Vários marcas de cubos e mesas de som costumam utilizar esse tipo de filtro, tais marcas como a Fender, Marshal, Boggie, e esses já são bem conhecidos nosso, no mundo musical.  
Esse circuito é um circuito passivo, o que nos deixa claro que ele não impulsionam ou dão ganho algum nas frequências de grave e agudo, na verdade os potenciômetros de grave, médio e agudo, são filtros passa baixa, passa faixa e passa alta, eles apenas atenuam essas frequências, fazendo com que prevaleçam as frequências que são permitidas pelos filtros passivos desse circuito.mais medianas.

Na figura 2 logo abaixo temos o diagrama esquemático do circuito Equalizador Passivo 2 bandas com Controle de Grave, Médio e Agudo, e como podemos conferi, é um circuito bastante simples de se montar, com poucos componentes, no entanto bastante eficaz. 
Fig. 2 - Circuito Equalizador Passivo 3 bandas com Controle de Graves, Médios e Agudos

Lista de Material

  • P1 ------------------------ Potenciômetro 250KΩ
  • P2 ------------------------ Potenciômetro 1KΩ
  • P3 ------------------------ Potenciômetro 25KΩ
  • R1 ------------------------ Resistor 100kΩ
  • C1 ----------------------- Capacitor de mica 470pF
  • C2, C3 ----------------- Capacitor de mica 22nF
  • Conector 
  • Outros ------------------ Fios, Soldas, plugs e Etc.

Download:

Estamos dispondo para Download o link com os arquivos para impressão da placa de circuito impresso, são eles: Gerber, PDF layout, webp, tudo isso com link direto para o Mega.

                  E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!

                  Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

                  Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui FVM Learning!!!

                  Forte abraço.

                  Deus vos Abençoe

                  Shalom

                  domingo, 21 de junho de 2020

                  Controle de potência de carga 110/220Vac. Controlado por: ESPs Arduínos ou PICs + PCI

                  Controle de potência de carga 110/220Vac. Controlado por: ESPs Arduínos ou PICs + PCI

                  Olá a Todos!!!

                  Hoje em dia, todos nós estamos envolvidos com circuitos de automação, disparos remoto, controle de cargas remotamente e etc, e sempre utilizamos o velho e conhecido Relê, seja ele Relê de contato, utilizando bobinas com contatos de fechamento metálico, ou com os mais avançados "caros" Relê de Estado Sólidos, mas para controlar uma carga de potência em 220V, com níveis de controle diferentes com o seu microcontrolador isolado da rede de energia, podemos dizer que não é tão simples de encontrar um módulo para dimerização e controle de carga controlado por Microcontroladores com um custo baixo. Foi pensando nisso que estamos a apresentar esse pequeno circuito que pode controlar eficientemente a; luminosidade de uma lâmpada incandescente,  velocidade de um motor elétrico, temperatura de uma estufa, secador de cabelos ou qualquer outro eletrodoméstico elétrico que pode ser controlado através de um dimmer. Todo esse controle se dar ao uso de um microcontrolador que pode ser um ESP8266, ESP32, Arduíno, PIC ou qualquer outro Microcontrolador que você tiver utilizando, que controla o módulo de potência baseado em um TRIAC
                  O TRIAC é acionado através de um DIAC que conduz à partir de uma tensão de 28V, ele é quem controla o ângulo de condução do TRIAC, disparando-o em diversos pontos do sinal senoidal da rede de energia sendo assim possível aplicar potências diferentes na carga controlada.
                  Para controlar o disparo do TRIAC, é usado um circuito RC, de maneira que a modificação dessa resistência, dispara o TRIAC em pontos de semiciclos de energia da rede. 
                  Para conseguirmos modificarmos a resistência controlando por um Microcontrolador, implementamos um divisor somador com 3 resistores diferentes que são conectados através de um opto-acoplador, e é através desse conjunto de resistores que formamos o Req pelo qual podemos controlar o circuito RC de retardo onde Req setada no máximo valor, o tempo de carga de C1 até o disparo do DIAC é maior, pela qual ocorre um tempo maior do semiciclo da energia da rede fazendo com que a carga tenha uma menor potência, já com Req na posição mínimo a carga de C1 é rápida e o disparo do DIAC ocorre no início do semiciclo, tornando a potência da carga no máximo, sendo assim, podemos controlar a potência máxima e mínima na carga. E vale salientar que quando utilizamos esse circuito para controlar motores, ele corta uma parte do semiciclo, mantendo a tensão em 220V, o que significa que o torque de um motor se mantém mesmo sendo controlado em baixa velocidade, o que o assemelha ao motor DC controlado por PWM.

                  Na figura 2, temos o diagrama esquemático do circuito de Controle de potência de carga 110/220Vac. Controlado por: ESPs Arduínos ou PICs com TRIAC TIC246, utilizamos 3 portas digitais do Arduíno, D9, D10, D11 para controlar o circuito de potência, foi utilizado resistores em série para controle de corrente no entre a saída digital do Arduíno (5V), e o Opto-acoplador, que utiliza um LED Infra-vermelho interiormente, e sabemos que se aplicarmos uma tensão de 5V direto no LED, ele irá queimar. O Opto-acoplador que utilizamos foi um MOC3021, mas, você pode está substituindo pelos  MOC3020, MOC3021, MOC3022, MOC3023, OPI3020, OPI3021, OPI3022, OPI3023, MCP3020, MCP3021, MCP3022, GE3020, GE3021, GE3022, GE3023, todos são compatíveis.
                  Fig. 2 - Controle de potência de carga 110/220Vac. Controlado por: ESPs Arduínos ou PICs
                  As séries de Opto-acopladores MOCs são dispositivos de driver TRIAC isolados opticamente. Esses dispositivos contêm um diodo emissor de infravermelho GaAs e um comutador bilateral de silício ativado por luz, que funciona como um TRIAC. Eles são projetados para interface entre controles eletrônicos e TRIACs de potência para controlar cargas resistivas e indutivas para operações de 115 ou 220 VCA.
                  E é através desse fechamento que conseguimos diminuir a resistência que colocamos em seus terminais, e baixamos a queda de tensão que ocorre através dessa resistência e assim, aumentamos a carga em C1, e o disparo do DIAC ocorre no início do semiciclo, aumentando a potência da carga.

                  Por utilizarmos 3 resistores em série/ponte, conseguimos 8 combinações de resistências diferentes, e na figura 3 temos a tabela para verdade para seguirmos e podermos programar as combinações sequenciadas nas portas do Arduíno.

                  Fig 3 - Tabela Verdade Controle de potência de carga 110/220Vac. Controlado por: ESPs Arduínos ou PICs
                  A potência total da carga que podemos colocar em nosso circuito, só dependerá unicamente do tipo de TRIAC que você vai utilizar, em nossa montagem, fizemos com o TIC246, por ser um TRIAC que suporta até 16 Amperes, o que é uma carga muitíssimo grande, se falamos de carga residencial, no entanto existem diversos tipos de TRIACs para ser utiliazdos, deixamos alguns dos mais conhecidos e fácil de se encontrar no mercado para você poder utilizar de acordo com o seu projeto: TIC116 para 6A, TIC226 ou BT137 para 8A, TIC236 para 12A, TIC246 para 16A.

                  Lista de Materiais

                  T1 -------------------------- Triac de Potência TIC246D ou substituto *ver texto*
                  D1 -------------------------- Diodos DIAC DB3 ou substituto
                  D4 -------------------------- Ponte retificadora KBPC5010 - 100V, 50A
                  U1, U2, U3 --------------- Opto-acoplador MOC3021 ou substituto *ver texto*
                  R1 -------------------------- Resistor 47Ω 1/4W  (amarelo, violeta, preto)
                  R2 -------------------------- Resistor 6.8KΩ 1/4W  (verde, cinza, vermelho)
                  R3 -------------------------- Resistor 47KΩ 1/4W  (amarelo, violeta, laranja)
                  R4 -------------------------- Resistor 100KΩ 1/4W  (marrom, preto, amarelo)
                  R5 -------------------------- Resistor 220KΩ 1/4W  (vermelho, vermelho, amarelo)
                  C1 -------------------------- Capacitor Poliéster / Cerâmico 0.22uF ou 220nF
                  C2 -------------------------- Capacitor Poliéster / Cerâmico 0.12uF ou 120nF
                  J1 --------------------------- Conector Barra Macho 4 pinos
                  P1, P2 ---------------------- Terminal Kre Block Borne Conector Duplo 2 Vias
                  Diversos ------------------- Placa Circuito Impresso, estanho, fios, etc.

                  Download:

                  Estamos dispondo para Download o link com os arquivos para impressão da placa de circuito impresso, são eles: Gerber, PDF layout, webp, tudo isso com link direto para o Mega.
                  Fig 4 - PCI - Controle de potência de carga 110/220Vac. Controlado por: ESPs Arduínos ou PICs

                  Link Direto: Arquivos, Layout PCB, PDF, GERBER

                  E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!
                  Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.
                  Se inscreva no nosso Blog!!! Click aqui - FVM Learning!!!
                  Forte abraço.

                  Deus vos Abençoe
                  Shalom

                  quarta-feira, 17 de junho de 2020

                  Fonte Estabilizada 13.8V Alta Corrente 30 Amperes + PCI

                  Fonte Estabilizada 13.8V Alta Corrente 30 Amperes + PCI

                  Olá a Todos!!!

                  Fig 1 - Fonte Estabilizada 13.8V 30A + PCI
                  No post de hoje, iremos montar uma excelente fonte de alimentação estabilizada com 13.8V e com alta corrente, 30 Amperes, essa fonte é bem estabilizada e serve para uma grande quantidade de projetos tais como: Fonte de alimentação para Rádio Amadores, que necessitam de uma alta corrente e ótima estabilização para funcionar bem, serve para carregar baterias, devido a sua tensão de 13.8V que é uma tensão bastante eficaz no carregamento de baterias, para alimentação de som automotivo, e etc. Em fim serve para inúmeros tipos de projetos, e sem contar que a sua montagem é de fácil construção, utilizando componentes discretos de fácil aquisição. 
                  Na figura 2 exibimos o diagrama esquemático para ser seguido, com a disposição dos componentes e suas configurações.
                  Fig 2 - Fonte Estabilizada 13.8V Alta Corrente 30 Amperes + PCI

                  Lista de Materiais

                  CI_1 ----------------------- Regulador de Tensão Linear LM7812
                  Q1, Q2, Q3 --------------- Transistor de Potência PNP TIP36C
                  D1, D2, D3 ---------------- Diodos de Cilício 1N4007
                  D4 -------------------------- Ponte retificadora KBPC5010 - 100V, 50A
                  LED1 ---------------------- Diodo Emissor de Luz - LED 3mm ou 5mm "Led de uso geral"
                  R1, R2, R3 ---------------- Resistor de Potência 0.1Ω 5W  (marrom, preto, prata, ouro)
                  R4 -------------------------- Resistor 100Ω 1/4W  (marrom, preto, marrom)
                  R5 -------------------------- Resistor 1.2KΩ 1/4W  (marrom, vermelho, vermelho)
                  C1 ------------------------- Capacitor Eletrolítico  47000uF / 35V
                  C2 ------------------------- Capacitor Eletrolítico  100uF / 35V
                  C3 ------------------------- Capacitor Eletrolítico  470uF / 35V
                  C4 ------------------------- Capacitor Poliéster / Cerâmico 0.1uF ou 100nF
                  J1, J2 ---------------------- Terminal Kre Block Borne Conector Duplo 2 Vias
                  Diversos ------------------ Placa Circuito Impresso, estanho, fios, etc.

                  O transformador

                  O transformador deve ter a capacidade de fornecimento de no mínimo 30 Amperes, isso levando em conta que você queira utilizar esse circuito para 30A, você poderá estar utilizando uma transformador com uma capacidade menor que não irá prejudicar o circuito, só deixando claro, que se for colocado um transformador com uma corrente menor, por exemplo 10A, na saída terás no máximo 10A, digo no máximo porque, sabemos que ha perdas por dissipação, conversão etc., mas, funcionará, a tensão do transformador devera ser no mínimo de 12Vca, e no máximo de 18Vca, isso para um funcionamento mais eficaz.

                  Download:

                  Estamos dispondo para Download o link com os arquivos para impressão da placa de circuito impresso, são eles: Gerber, PDF layout, webp, tudo isso com link direto para o Mega.
                  Fig 3 - PCI Fonte Estabilizada 13.8V Alta Corrente 30 Amperes

                  Link Direto: Arquivos, Layout PCB, PDF, GERBER

                  E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!
                  Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.
                  Se inscreva no nosso Blog!!! Click aqui - FVM Learning!!!
                  Forte abraço.

                  Deus vos Abençoe
                  Shalom


                  quinta-feira, 11 de junho de 2020

                  Equalizador estéreo com controle de Grave / Agudo / volume / Balanço com CI TDA1524 + PCI

                  Equalizador estéreo com controle de Grave / Agudo / volume / Balanço com CI TDA1524 + PCI

                  No post de hoje, iremos apresentar um Circuito equalizador estéreo de duas bandas com controle de volume, balanço, grave e agudo, tudo isso baseado no Circuito integrado TDA1524, que é um dispositivo que foi projetado para controles ativo de som estéreo que pode ser utilizado em rádios de automóveis, caixas de som ativa, receptores de TV e equipamentos som de qualquer categoria que necessite de ter o controle de de graves e agudos, controle de volume e com contorno embutido (pode ser desligado) de balanço LR.
                  Todas essas funções podem ser controladas por uma tensão CC ou por potenciômetros lineares.

                  Na figura 2 abaixo podemos visualizar o diagrama esquemático do Equalizador estéreo com controle de Grave / Agudo / volume / Balanço. O CI TDA1524 é o responsável por executar todo o controle de graves, agudos, volumes e balanço de todo o circuito, ele é dotado de 18 Pinos e vem em encapsulamento de Plástico SOT102.
                  Fig. 2 - Equalizador estéreo com controle de Grave / Agudo / volume / Balanço com CI TDA1524 

                  Características

                  • Poucos componentes externos são necessários
                  • Baixo nível de ruído devido ao ganho interno
                  • A ênfase dos graves pode ser aumentada por um filtro passa-baixo bipolar
                  • Ampla faixa de tensão da fonte de alimentação 3 à 18V.

                  Lista de Materiais

                  CI 1 ----------------------- Circuito Regulador de Tensão TDA1524
                  R1, R2 -------------------- Resistor 200Ω  (vermelho, preto, marrom)
                  C1, C2 -------------------- Capacitor Eletrolítico  2.2uF / 25V
                  C3, C4 ------------------- Capacitor Poliéster / Cerâmico 56nF
                  C5, C6 ------------------- Capacitor Poliéster / Cerâmico 15nF
                  C7, C8 ------------------- Capacitor Eletrolítico  4.7uF / 25V
                  C9 ------------------------ Capacitor Eletrolítico  100uF / 25V
                  C10, C11, C12, C13 --- Capacitor Poliéster / Cerâmico 100nF
                  RP1 à RP4 -------------- Potenciômetro de 47KΩ
                  J1, J2 -------------------- Bornes para soldar em PCI 3 pinos
                  J3 ------------------------ Bornes para soldar em PCI 2 pinos
                  Diversos ---------------- Placa Circuito Impresso, estanho, fios, etc.

                  Download:

                  Estamos dispondo para Download o link com os arquivos para impressão da placa de circuito impresso, são eles: Gerber, PDF layout, webp, tudo isso com link direto para o Mega.
                  Fig 3 - Equalizador estéreo com controle de Grave / Agudo / volume / Balanço com CI TDA1524

                  Link DiretoArquivos, Layout PCB, PDF, GERBER

                  E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!
                  Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.
                  Se inscreva no nosso Blog!!! Click aqui - FVM Learning!!!
                  Forte abraço.

                  Deus vos Abençoe
                  Shalom

                  sábado, 6 de junho de 2020

                  O que é Phantom Power e Como Funciona?

                  O que é Phantom Power e Como Funciona?

                  Olá a todos!!!!

                  No post de hoje, iremos explicar o que é um Phantom Power, cujo significado em uma tradução livre, significa literalmente "Alimentação Fantasma", como ele funciona, suas principais características e aplicações. Hoje em dia é bastante comum visualizarmos os microfones Phantom Power em uma grande quantidade em eventos musicais, seja orquestras, bandas, sinfonias, em estúdios que é bastantes comuns, em microfones para baterias, que em sua grande maioria são Phantom Power, microfones para gravação de voz, etc... mas, o que há de tão “fantástico” no Phantom Power, para que eles sejam tão populares entre os microfones? Esse será um guia rápido que irá fazer você entender melhor sobre o Phantom Power.

                  Como surgiu o Phantom Power?

                  O “phantom power para microfone” originou -se na NRK (Norwegian Broadcasting Corporation). Devido à pouca luz do dia nos meses de inverno na Noruega, seus estúdios eram equipados com iluminação auxiliar, alimentada por uma fonte de alimentação de 48V CC. Na década de 1960, os fabricantes de microfones começaram a introduzir a tecnologia de transistor em seus microfones. A Neumann GmbH, ansiosa por trazer seus novos microfones de estado sólido para a Noruega, visitou o NRK em 1966. Os novos microfones de estado sólido de Neumann precisavam de menos energia do que os microfones de tubo. Havia potencial para alimentar esses microfones sem uma fonte de alimentação externa, mas através do mesmo cabo que carregava o sinal de áudio. E assim ficou estabelecido que a Neumann projetaria seus microfones para funcionar com a fonte de alimentação de 48V CC fornecida pelos estúdios da NRK. Essa tensão CC funcionaria nos pinos 2 e 3 de um conector XLR de 3 pinos. Desde então, 48V CC se tornou o padrão (na DIN 45596) para alimentação Phantom de microfone.

                  O que é Phantom Power? 

                  A alimentação Phantom Power é uma tensão CC "Corrente Contínua" (normalmente +48 V) fornecida ao microfone através dos pinos 2 e 3 de um plug Canom balanceado XLR, e o pino 1 mantém sua configuração  como o pino terra, o Phantom Power fornece energia aos componentes ativos em determinados microfones condensadores. Essa tensão elétrica tecnicamente varia entre 12 à 48 volts com corrente que também variam "dependendo do equipamento que fornece a alimentação" entre 4 à 22 miliamperes, como a tensão é exatamente a mesma nos pinos 2 e 3, a alimentação Phantom não afetará os microfones dinâmicos balanceados, já que não haverá diferença de potencial entre os pinos, nenhuma corrente fluirá na capsula dos microfones dinâmicos. "isso se tiver corretamente instalado". A tensão de alimentação trafega pelo mesmo cabo balanceados que transportam o sinal de áudio, que é fornecido por um pré-amplificador de microfone, mesa de som, consoles de mixagem, interfaces de áudio, módulos de alimentação Phantom independentes etc. 

                  Como Funciona o Phantom Power?

                  A alimentação Phantom Power é uma tensão de alimentação de Corrente Contínua, enviada através do mesmo cabo de sinal do áudio balanceado, essa tensão nas mesas e interfaces profissionais, são de 48 volts aplicados ao pino 2 e 3, o terra mantém-se no pino 1. Embora existam aplicações diferentes para esse tipo de fornecimento de alimentação, na sua grande maioria são os microfones condensadores e microfones ativos, que utilizam esse recurso, pois eles necessitam de uma tensão para alimentar seus componentes eletrônicos internos e polarizarem a cápsula. Ainda que a tensão padrão para alimentação Phantom seja 48V CC, nem todos os microfones com alimentação Phantom necessitam da alimentação dos 48 volts completos, alguns utilizam 9V CC, enquanto outros podem até exigir mais do que a tensão de 48V, mas, não devemos nos preocupar, devido aos microfones que utilizam uma tensão menor, já terem internamente circuitos reguladores de tensão para adequar a tensão necessária para o seu circuito.
                  Existem diversos tipos de microfones no mercado atual, e é um número crescente, que utilizam o recurso Phantom Power. 

                  Microfones que utilizam Phantom Power

                  Os Microfones que necessitam de alimentação para funcionar, são os Microfones de condensador Electreto com FET (Field Effect Transistor), Microfones condensadores Polarizados externamente, e microfones dinâmicos de faixa ativa, e além de todos os conhecidos, temos também os microfones digitais, que são totalmente alimentado pelo Phantom Power

                  E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!
                  Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.
                  Se inscreva no nosso Blog!!! Click aqui - FVM Learning!!!
                  Forte abraço.

                  Deus vos Abençoe
                  Shalom

                  terça-feira, 26 de maio de 2020

                  Projeto Super Fonte 1.25V à 130V e 0.2 à 5 Amperes com CI LM723 + PCI - 1° Parte

                  Projeto Super Fonte 1.25V à 130V e 0.2 à 5 Amperes com CI LM723 + PCI - 1° Parte

                  Olá a Todos!!!

                  Fig. 1 - Projeto Fonte Alimentação variável 130V 5A FVML
                  No Post de hoje, iremos dar início a um projeto fantástico de uma Fonte de Alimentação para Bancada, que tem a capacidade de fornecer uma tensão ajustável entre 1.25 à 130V DC, com uma corrente que varia entre alguns miliamperes à 5 Amperes. Iremos utilizar o velho e conhecido LM723 ou uA723 em configuração Floating Regulator, que em uma tradução livre, seria; Regulador Flutuante.
                  Mas, para entendermos o significado de Regulador Flutuante, temos primeiro que conhecer o LM723.

                  O LM723 é um regulador de tensão de alta precisão programável, montado em encapsulamento plástica dupla em linha de 14 derivações. O circuito fornece limitação de corrente interna. Quando a corrente de saída exceder 150 mA, um elemento externo NPN ou PNP pode ser usado. São feitas provisões para limitação de corrente ajustável e desligamento remoto. O diagrama de bloco esquemático do Circuito Integrado está descrito na figura 2 abaixo.
                  Fig. 2 - Diagrama de bloco Circuito Integrado LM723
                  Como é de conhecimento da maioria, os circuitos reguladores de tensão variáveis, em geral só conseguem variar sua tensão de saída com valores entre 1.25 à 37v, com exceção de alguns reguladores especiais, que variam sua tensão a mais que o padrão, aqui mesmo no nosso site FVML, temos alguns circuitos com reguladores especiais, é só você seguir a Tag lateral em fonte de alimentação. 
                  No caso do LM723 não é diferente,  a tensão de entrada tem um limite de até 40V, e sua tensão de variação fica entre 2V à 37V na saída. 
                  Mas... para conseguirmos variar uma tensão de alimentação maior que os 37V? Para isso utilizaremos a configuração do tipo Floating Regulator, isso significa que é feita a alimentação do Circuito Integrado com uma fonte, e a alimentação da saída regulável com outra fonte, e é aí onde acontece a mágica, uma tensão independente da tensão que alimenta o Circuito Integrado, ficando assim, com uma alta tensão independente regulada na saída.

                  O diagrama esquemático do nosso Projeto, foi baseado no Datasheet do fabricante, Texas Instruments, com algumas pequenas modificações. O circuito sugerido pelo fabricante é o que mostrado na figura 3 abaixo. Ele não oferta nenhum controle de corrente ajustável, o que se tem é o circuito de proteção contra curto, ou alta corrente, formado pelo resistor R5 de 1 ohms.
                  Fig. 3 - Diagrama Esquemático Fonte Alimentação Floating com LM723

                  E o que fizemos foi algumas alterações no circuito para adequar as nossas necessidade, e a primeira foi estudar uma maneira de fazer com que tivéssemos um controle de corrente na saída, adicionando um potenciômetro Linear em conjunto com um resistor para executar essa tarefa, também não estamos utilizando o diodo Zener, pois a fonte que estamos utilizando é independente e estabilizada, "estamos utilizando uma de notebook", fizemos umas alterações nos resistores divisores de tensão para chegarmos a um valor que precisaremos, também separamos a fonte de alimentação, no circuito apresentado no datasheet, no datasheet existe uma única fonte de alimentação, preferimos separá-los, devido a alta tensão que estamos trabalhando, teríamos que modificar o resistor "R5 de 200R"  e colocar um com maior capacidade, e obviamente ele estaria consumindo toda tensão limitado pelo diodo Zener, e isso significa que o resistor teria que ter uma boa potência, para alimentar o circuito, e consumiria uma corrente contínua sem mesmo você está usando a fonte. Na figura 4 podemos ver o circuito com as alterações que fizemos.
                  Fig. 4 - Projeto Super Fonte Alimentação 130V  5A com LM723
                  Adicionamos uma etapa de potência seguido de um transistor drive (BD139) e dois transistores de potência (2SC5200), isso para poder suportar a corrente de 5 Amperes,  Executamos primeiro a montagem em uma Protoboard, testamos, e os resultados foram satisfatórios, só será necessário recalcularmos o controle de corrente, é necessário que ele seja mais preciso iniciando, como sugere a descrição do título do nosso Post, 0,2 à 5 Amperes, esses testes estão disponível no vídeo que fizemos em nosso canal no YouTube, você pode está visualizando no final desse Post. Os testes que fizemos, mostra que iniciamos com uma tensão de entrada de 67V, e deu tudo certo, conseguimos alimentar um motor pequeno de aproximadamente 1 Ampere até 24V, e depois alimentamos dois resistores de 75W de potência e com resistências diferentes em paralelo, um foi de 250 ohms, e  o outro foi de 150 ohms, pela qual utilizando o método de equivalência de resistores para descobrirmos a resistência dos dois resistores em paralelo, seguindo a formula como ilustrado na figura 5 abaixo:
                  Fig. 5 - Formula resistência equivalente
                  Fig. 5 - Formula resistência equivalente FVML
                  O que nos deu uma resistência de 93,75 ohms com 150W de potência, bem com essa resistência podemos facilmente fazer os testes em nossa fonte.

                  OBS.: Tenha bastante atenção ao ligar as fontes, não ligue a fonte Primária, a que alimenta o Circuito Integrado, sem ligar também a fonte Secundária, a que gera a tensão de saída, pois estamos trabalhando com tensão de regulagem flutuante, isso significa que, se você ligar a fonte Primária e não ligar a fonte Secundária, ele irá aquecer o Circuito Integrado e posteriormente danifica-lo queimá-lo.

                  Ao conectar a carga, tivemos em uma alimentação de 62V a corrente em cima dos resistores foi de 0.639A, o transistor e a carga aqueceu moderadamente, estava-mos utilizando um único transistor que tinha-mos disponível em nossa bancada, a tensão mínima conseguida foi de 1.1V e a máxima foi de 62V, nessa configuração inicial, com a fonte secundária de 67V. Então iniciamos as modificações para evoluirmos para os 130V.
                  Para executarmos essa mudança, é necessário mudarmos o resistor divisor de tensão de realimentação conectado ao terra da fonte Secundária e ao potenciômetro em série, no próprio datasheet temos uma tabela que você pode está seguindo, como estamos com uma fonte de 130V, na tabela do datasheet, para essa tensão, é mais ou menos 100K.
                  Baseado nos testes que fizemos, com o resistor sugerido pelo fabricante não alcançamos os 130V desejado, e a tensão mínima na saída dem 27V, será necessário recalcular esses resistores, com a carga conectada, alcançamos uma corrente de 1.208A, e a tensão máxima foi de 117.6V. A carga esquentou bastante, e o transistor ficou muito quente, não suportaria ficar com essa carga por longo tempo.
                  A fonte que utilizamos, não aguentou fornecer os 135,9V com uma carga, e manter essa tensão, ela caiu para 121,5V.
                  No final dos testes alcançamos uma carga de 1.211A multiplicado pela tensão de 117.8V o que nos resultou em uma potência de 142.6W
                  Na segunda parte desse projeto, estaremos atualizando esse circuito, fazendo novos testes e as devidas modificações para aprimorarmos esse projeto e deixarmos redondinho, tudo funcionando com sua capacidade total. Quando concluirmos todas as etapas desse projeto, estaremos disponibilizando para vocês os diagramas esquemático já com suas devidas modificações, a Layout da PCB, e tudo que for necessário para você também concluir o seu projeto.

                  Abaixo segue o nosso vídeo de todos os testes que fizemos:

                  Projeto Super Fonte 1.25V à 130V e 0.2 à 5 Amperes com CI LM723 - 1° Parte



                  CONTINUA...

                  E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!
                  Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.
                  Se inscreva no nosso Blog!!! Click aqui - FVM Learning!!!
                  Forte abraço.

                  Deus vos Abençoe
                  Shalom