FVM Learning

Nosso maior compromisso é compartilhar conhecimentos, somos simples, mas não simplórios, astuto, mas não pacóvio, nos posicionamos empenhados em mostrar o caminho para desmistificação do opróbrio em legítima defesa do conhecimento compartilhado. Eng. Jemerson Marques!
Mostrando postagens com marcador Datasheet - Pinagem - Pinout. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Datasheet - Pinagem - Pinout. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 20 de junho de 2022

Pinagem da Placa Arduino UNO V3 & ATMega328P e suas Especificações!

Principais características

Arduino UNO é uma placa microcontroladora baseada no ATmega328P. Possui 14 pinos de entrada/saída digital (dos quais 6 podem ser usados como saídas PWM), 6 entradas analógicas, um ressonador cerâmico de 16 MHz, uma conexão USB, um conector de alimentação, um conector ICSP e um botão de Reset

Ele contém tudo o que é necessário para dar suporte ao microcontrolador; basta conectá-lo a um computador com um cabo USB ou alimentá-lo com uma fonte de alimentação CC ou bateria para começar. 

Pinagem Arduino Uno V3

Na Figura 1 abaixo, temos a Pinagem completa das conexões da placa Arduino UNO com a última Versão 3.0

Fig. 1 - Pinagem da Placa Arduino UNO V3 & ATMega 328P - Fonte Wikimedia

Especificações Técnicas

Na tabela abaixo, você encontrará as principais especificações técnicas do Arduino UNO R3.

PlacaNomeArduino UNO R3
SKUA000066
MicrocontroladorATmega 328P
Conector USBUSB-B
PinosBuilt-in LED Pino13
Digital I/O Pinos14
Pinos de Entrada Analógica6
Pinos PWM6
ComunicaçãoUARTSim
I2CSim
SPISim
AlimentaçãoTensão de Entrada/ Saída dos Pinos5V
Tensão de entrada (nominal)7-12V
Corrente por pinos I/O20 mA
Conector da Fonte de AlimentaçãoBarrel Plug
Velocidade do ClockProcessador PrincipalATmega328P 16 MHz
Processador USB-SerialATmega16U2 16 MHz
MemoriaATmega 328P2KB SRAM, 32KB FLASH, 1KB EEPROM
DimensõesPeso25 g
Largura53.4 mm
Comprimento68.6 mm

Fonte da imagem pinagem do Arduino Uno: Wikimedia

Pessoal, o trabalho é grande, escrever, pesquisar, estudar, buscar as imagens, tudo isso dá muito trabalho, e não cobramos nada por isso!

Então nos ajude a divulgar nosso trabalho, compartilha nas redes sociais, Facebook, Instagram, nos grupos de WhatsAppuma simples atitude sua, faz com que cresçamos juntos e melhoremos o nosso trabalho!

E por hoje é só, espero que tenham gostado!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso BlogClique Aqui FVM Learning!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe
Shalom!

segunda-feira, 18 de abril de 2022

Pinagem - Pinout Fonte ATX - Especificações e Características!

Fig. 1 - Pinagem - Pinout Fonte ATX - Especificações e Características!

Especificações

As fontes de alimentação ATX, foram desenvolvidas para trabalharem principalmente com Computadores. Seu funcionamento consiste em, converter uma corrente alternada AC vinda da rede de fornecimento elétrico, em várias tensões de corrente contínua CC.

Para você que quer saber dos assuntos mais detalhados do funcionamento de uma fonte ATX, fizemos um Post que explica com fotos ilustrativas reais da placa da fonte e sua posição do diagrama esquemático, explicado o funcionamento em etapas de uma fonte ATX, para mais, clique no link abaixo:

Características

As principais tensões de fornecimento da fonte de alimentação ATX são: +3,3V, +5V, e +12V. E as tensões pontuais de baixa corrente, -12V e +5VSB (standby).  Existia ainda uma saída de -5V que era para alimentar os obsoletos barramentos ISA

Existem diversos modelos de fontes ATX no mercado, e cada uma veem com mais periféricos, separamos aqui os mais comuns entre todas elas.

Pinagem - Pinout Fonte ATX

Conector 20 ATX

O primeiro conector que mostraremos, é o maior entre todos, ele é conhecido como; Conector 20 ATX, o conector contém 20 pinos, como mostrado na Figura 2 abaixo. 
Fig. 2 - Conector 20 ATX -  Conector de 20 Pinos

Essa categoria de conector já são considerados obsoletos, já que a maioria das placas mães, utilizam o Conector 20 + 4 ATX.

Conector 24 ATX 

O conector 24 ATX foi a evolução do Conector 20 ATX, ele conta com 24 pinos, disposto em um único conector. Alguns fabricantes pensando em atender as placas mais antigas, dividem em dois  conectores um de 20 pinos mais um de 4 pinos, daí que sai a nomenclatura 20 + 4 ATX, como mostradona Figura 3 abaixo.
Fig. 3 - Conector 24 ATX -  Conector de 24 Pinos

Essa categoria de conector, além de levar alimentação para a placa, ele também é responsável por levar alguns pinos com funções especiais, que abordaremos logo mais abaixo.

Conector EPS12V

Para essa categoria de conector, existem três versões:
  • Conector 4 EPS12V — Esses conectores surgiram nas versões das fontes ATX, a partir da versão 1.3, distribuídas com conectores 4 EPS12V, como mostrado na Figura 4 abaixo.
Fig. 4 - Conector 4 EPS12V -  Conector de 4 Pinos

  • Conector 6 EPS12V - Esses  conectores surgiram a partir das versões 2.0 das fontes ATX, distribuídas com conectores 4 + 2 EPS12V, como mostrado na Figura 5 abaixo. 

    As fontes mais modernas utilizam dois conectores conjugados, ou seja, um de 4 pinos e outro de 2 pinos, encaixáveis, para facilitar na compatibilidade das versões mais antigas, e outros já veem com o conector de 6 pinos.
Fig. 5 - Conector 6 EPS12V -  Conector de 6 Pinos

  • Conector 8 EPS12V - Esses  conectores surgiram a partir das versões 2.0 das fontes ATX,  distribuídas com conectores 4 + 4 EPS12V, como mostrado na Figura 6 abaixo.
     
    As fontes mais modernas utilizam dois conectores conjugados, ou seja; dois conectores de 4 pinos que são encaixáveis, para facilitar na compatibilidade das versões mais antigas, e outros já veem com o conector de 8 pinos.
Fig. 6 - Conector 8 EPS12V -  Conector de 8 Pinos

Conector Molex Peripheral

Essa categoria de conector, é um dos mais tradicionais, ainda muito presente nos PCs. Essa categoria de conectores são utilizados para alimentar diversas categorias de equipamentos, tais como: 

Disco Rígido, Unidades de DVD/CDs, Placas Auxiliares, Algumas placas de vídeo, e em alguns casos, Placa Mãe de equipamentos industriais que utilizam essa categoria de fonte. O conector Molex é mostrado na Figura 7 abaixo.
Fig. 7 - Conector Molex Peripheral -  Conector de 4 Pinos

Conector Floppy Drive

Os Conectores Floppy Drive, são conectores obsoletos, não utilizados atualmente, e por obviedade tendem a desaparecer, a maioria das fontes, já não trazem mais essa categoria de conector, a imagem ilustrativa do conector é mostrado na Figura 8 abaixo.
Fig. 8 - Conector Floppy Driver -  Conector de 4 Pinos

Ele era utilizado em dispositivos de leitura dos antigos, disquetes, que eram alimentados por essa categoria de conector, que hoje não são mais visíveis em nenhum computador.
 

Conector peripheral SATA Power

Este conector é considerado a prova de erros, já que tem um orifício que faz com que o conector não seja ligado erradamente evitando qualquer erro na conexão, ele é  responsável pela alimentação dos periféricos, como: Disco Rígido, Drive CD/DVD como alimentação SATA, e em alguns casos, placas de vídeos que possuem alimentação SATA. A imagem ilustrativa e mostrada na Figura 9 abaixo.

Fig. 9 - Conector peripheral SATA Power - 15 Pinos

ATX Auxiliar Power Cable

Esse conector é utilizado na alimentação auxiliar de alguns periféricos, esses periféricos são equipamentos que precisam serem alimentados com as tensões de +3.3V e +5V

Fig. 10 - Conector Auxiliar ATX - 6 Pinos.

Funções Especiais Conector 20 e 24 ATX

Como já mencionara no início do Post, existem 4 fios dos 20 ou 24 fios, com funções especiais nas fontes ATX, são eles:

  • Pino 14 para o conector 20 ATX, ou o pino 16 para o conector 24 ATX - Esse é identificado por um fio padrão da cor Verde. Sua sigla é PS_ON, que significa “Power Supply On”, esse fio é quem recebe o comando da placa-mãe, que quando pressionamos o botão de ligar o PC, a placa mãe aterra esse PS_ON ao Ground, ou GND, ligando toda fonte de alimentação.

    Digo toda fonte, porque as fontes ATX, são dotadas de duas fontes independentes, a fonte stand alone, que é uma pequena fonte que fornece uma tensão de +5V com no máximo 2A. 

    Ela fica ligada logo que você conecta a fonte ATX na energia, ela serve para alimentar os periféricos de standby da fonte e da placa mãe, e a fonte de potência, que liga todas as linhas de alimentação.

    Caso queira ligar a fonte ATX, é só conectar o Fio Verde PS_ON, ao fio Preto, GND ou terra que a fonte irá ser acionada enquanto o fio verde estiver aterrado.

  • Pino 8 - Esse pino é identificado por um fio Cinza. Sua sigla é PG, que significa “Power Good” esse fio é quem indica que a fonte se estabilizou e está pronta para uso.

    O seu funcionamento é simples, quando acionamos a fonte, ele se mantém em baixa por um tempo de cerca de (100-500 ms).

  • Pino 9 - Esse é identificado por um fio padrão da cor Roxa. Sua sigla é +5VSB, que significa “+ 5V Standby”. 

    Esse fio é quem alimenta os circuitos de standby, como, por exemplo, o circuito Power On, enquanto a fonte principal que fornece as tensões de +3.3V, +5V, +12V, -12V, de potência, esta desligada.

Pessoal, o trabalho é grande, escrever, montar, testar, elaborar a PCI, armazenar para baixar, tudo isso dá muito trabalho, e não cobramos nada por isso!

Então nos ajude a divulgar nosso trabalho, compartilha nas redes sociais, Facebook, Instagram, nos grupos de WhatsAppuma simples atitude sua, faz com que cresçamos juntos e melhoremos o nosso trabalho!

E por hoje é só, espero que tenham gostado!

Quaisquer dúvidas, sugestões, correções, por favor, deixe nos comentários abaixo, que em breve estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso BlogClique Aqui FVM Learning!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe
Shalom!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2022

Pinagem Pinout - Conectores Tipo A & B - USB 1.0, USB 2.0, USB 3.0 - Especificações!

Fig. 1 - Pinagem Pinout - Conectores Tipo A & B - USB 1.0, USB 2.0, USB 3.0 - Especificações

O USB (Universal Serial Bus) é uma interface plug-and-play de barramento serial entre os dispositivos e o controlador host como; computador, servidor, dispositivo host, hub, etc.

São utilizados 4 fios blindados em um único cabo: dois para alimentação (+5v e GND) e dois para sinais de dados diferenciais (identificados como D+ e D- na pinagem).

Para detalhes como; velocidades, padrões, características, tipos e versões, você poderá está consultando o nosso Artigo detalhado sobre, clicando no link abaixo:

  • USB Velocidades - USB 1.0, USB 2.0, USB 3.0 e USB 4.0 - Quais suas Diferenças!

Você pode se interessar também:

Pinagens dos Conectores USB

USB 1.0 e USB 2.0 - Tipo A

Os conectores USB 1.0 são as primeiras versões, eles teem o mesmo involucro dos conectores USB 2.0, o que difere é somente a tecnologia embarcada no circuito. 

Na Tabela abaixo temos a pinagem e suas respectivas descrição.

PinoNomeDireçãoCorDescrição
1VBUS Vermelho+5 V Alimentação
2D -«—»VerdeUSB 2.0 Dados -
3D +«—»AzulUSB 2.0 Dados +
4GND PretoNegativo


Na Figura 2 abaixo temos o diagrama do conetor USB do TIPO A, com sua respectiva Pinagem.

Fig.2 - Conector USB tipo A - Pinagem, Pinout, USB 1.0, USB 2.0

USB 2.0 - Tipo B

O conector USB TIPO B compartilham o mesmo número de pinos do conector Tipo A, o que difere é o posicionamento dos pinos que é comportada pelo formato do conector TIPO B

Na Tabela abaixo temos a pinagem e suas respectivas descrição.

PinoNomeDireçãoCorDescrição
1VBUS Vermelho+5 V Alimentação
2D -«—»VerdeUSB 2.0 Dados -
3D +«—»AzulUSB 2.0 Dados +
4GND PretoNegativo


Na Figura 3 abaixo temos o diagrama do conetor USB do TIPO B, com sua respectiva Pinagem.

Fig. 3 - Conector USB tipo B - Pinagem, Pinout, USB 2.0

USB 3.0 - Tipo A

O USB 3.0 Tipo A, tem o encapsulamento idêntico aos  seus antecessores, no entanto internamente é diferente, pois ele mescla o barramento USB 2.0 que contém 4 Pinos, com novo barramento SuperSpeed que contém 5 Pinos, e tem taxa de transferência de até 5,0 Gbit/s. 

Isso é aproximadamente dez vezes mais rápido que o padrão USB 2.0. Os conectores USB 3.0 se diferenciam visualmente dos conectores USB 1.0 e USB 2.0, através da cor do involucro de plástico que nas versões anteriores eram preto, e a versão USB 3.0 e azul. 

Na Tabela abaixo temos a pinagem e suas respectivas descrição.

PinoNomeDireçãoCorDescrição
1VBUS Vermelho+5 V Alimentação
2D -«—»VerdeUSB 2.0 Dados -
3D +«—»AzulUSB 2.0 Dados +
4GND PretoNegativo
5StdA_SSRX-«—RoxoSuperSpeed Receiver
6StdA_SSRX+«—LaranjaSuperSpeed Receiver
7GND_DRAIN GroundNegativo
8StdA_SSTX-—»Azul-EscuroSuperSpeed Transmitter
9StdA_SSTX+—»AmareloSuperSpeed Transmitter


Na Figura 4 abaixo temos o diagrama do conetor USB 3.0 do TIPO A, com sua respectiva Pinagem, estamos mostrando o barramento interno ao lado do conector para demonstrar os pinos que tem dentro para melhor visualização.

Fig.4 - Conector USB 3.0 tipo A - Pinagem, Pinout USB 3.0

USB 3.0 - Tipo B

USB 3.0 Tipo B, tem o encapsulamento parecidos com os USB 2.0 TIPO B, no entanto ha um acréscimo de 5 pinos em um orifício na parte superior do conector, e em termos de aparência, é isso que diferencia do Conector USB 2.0 TIPO B, além da cor azul, é claro. 

Na tabela abaixo temos a pinagem e suas respectivas descrição.

PinoNomeDireçãoCorDescrição
1VBUS V+Vermelho+5 V Alimentação
2D -«—»VerdeUSB 2.0 Dados -
3D +«—»AzulUSB 2.0 Dados +
4GND GNDPretoNegativo
5StdB_SSTX-—»RoxoSuperSpeed Transmitter
6StdB_SSTX+—»LaranjaSuperSpeed Transmitter
7GND_DRAIN GNDGroundNegativo
8StdB_SSRX-«—Azul-EscuroSuperSpeed Receiver
9StdB_SSRX+«—AmareloSuperSpeed Receiver


Na Figura 4 abaixo temos o diagrama do conetor USB 3.0 do TIPO B, com sua respectiva Pinagem.

Fig.5 - Conector USB 3.0 tipo B - Pinagem, Pinout USB 3.0

Ha também um versão com uma pequena diferença entre os conectores USB 3.0 Tipo B, são os conhecidos como Powered-B

Ele possui dois pinos adicionais de fornecimento de energia "Pinos 10 e 11", para aumentar a corrente de trabalho do conector, e em caso de equipamentos com uma corrente maior, não necessitar de um adaptador USB ou uma fonte de alimentação externa.

E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click aqui - FVM Learning!!!
Forte abraço.

Deus vos Abençoe
Shalom

domingo, 5 de dezembro de 2021

Padrão de Cores Cabo de Rede RJ45 - T568A e T568B - Padrão EIA/TIA

Olá  a Todos!

Para aqueles que já são mais antigos na profissão de TI, devem lembrar que no passado a algumas décadas atrás, não havia nenhuma norma que regesse os padrões para ligações de cabeamentos das redes estruturadas. 

As normas eram determinada pela definição escolhida pelas empresas ou mesmo o profissional de instalação da rede cabeada, e com isso, já podemos imaginar como era você dar uma manutenção ou mesmo modifica a estrutura de rede de uma empresa, executado por outra empresa ou profissional. 

Padrões TIA/EIA 

Com crescimento eminente da tecnologia e infra-estrutura das redes cabeadas, houve a necessidade de padronizar todo o sistema de estrutura de rede. 

Foi então que em meados de 1991 surgiram os padrões TIA/EIA 568A e 568B desenvolvido pela (EIAElectronic Industries Association e pela (TIATelecommunications Industry Associationpara normatização das ligações elétricas/eletrônicas dos cabos de rede e sua conexões. 

Em 1994 a norma 568A foi revisada contemplando cabeamentos Categoria 4 e 5 (UTP – Unshielded Twisted Pair) e em 2001 foi publicada a norma EIA/TIA 568-B que  trata de 10 categorias diferentes. 

Você pode se interessar também:

Norma Brasileira ABNT

A norma Brasileira que rege os padrões está descrita na ABNT (Agência Brasileira de Normas Técnicas14565: 2000 baseada na ISO/IEC 11801.

O padrão definido pela TIA\EIA-568 indica a combinação das conexões de pares trançados e as combinações de cores das pinagem dos conectores do RJ45

Categorias T568A e T568B

Existem duas categorias diferentes dos padrões, TIA/EIA, são: T568A e o T568B, são os padrões de terminação usados ​​por Provedores de Internet, Infraestrutura de Backbone, Infraestrutura de Cabeamento Industrial, e como também por pequenas empresas e cabeamento residenciais.

No entanto, a diferença entre essas duas categorias se dão aos pares; laranja/branco verde/branco, que correspondem aos pinos 1 & 2, 3 & 6, serem trocados na montagem do cabo.

Fig. 1 - Padrão de Cores Cabo de Rede RJ45 - T568A e T568B - Padrão EIA/TIA

Vale lembrar que mesmo com as mudanças do conjunto de pares, quando se usa mesmos padrões em ambas extremidades do cabo, os resultados serão os mesmos, tendo suas configurações com conexões diretas em suas extremidades.

Na Tabela 1 abaixo, temos a configuração dos pinos e suas correspondentes cores, seguindo os dois padrões lado a lado para comparação.

Tabela Sequencial de Cores e Pinagem

PinoT568AT568B
1Branco/VerdeBranco/Laranja
2Verde        Laranja
3Branco/LaranjaBranco/Verde
4AzulAzul   
5Branco/AzulBranco/Azul
6LaranjaVerde
7Branco/MarromBranco/Marrom
8MarromMarrom


O padrão T568A é o padrão amplamente mais aceito, porque é compatível com a maioria dos esquemas de fiação e o que recomendo para a maioria das aplicações.


Cabo Crossover

Os cabos Cross-Over "cabo cruzado" utilizam os padrões T568A T568B em cada extremidade como ilustrado na Figura 2 abaixo, esses categorias de cabos são utilizados quando precisamos, por exemplo, dois Computadores sem a utilização de um Roteador, ou Switch.

Fig. 2 - Ligação de Cabo Crossover Padrões T468A e T468B

É válido lembrar que se você ainda utiliza equipamentos mais antigos, não se deve conectar cabos do tipo cross-over entre o computador e um switch, roteador, pois em alguns casos, podem danificar os equipamentos. 

Agora se você trabalha com os equipamentos mais modernos, mais recentes, eles utilizam tecnologia do tipo AUTO MDI/MDIX, que fazem com que o próprio equipamento identifique a interface conectada automaticamente, e mesmo sendo do tipo cross-over não ha problema algum, pois ele se configura automaticamente. 

Pessoal, o trabalho é grande, escrever, montar, testar, elaborar a PCI, armazenar para baixar, tudo isso dá muito trabalho, e não cobramos nada por isso!

Então nos ajude a divulgar nosso trabalho, compartilha nas redes sociais, Facebook, Instagram, nos grupos de WhatsAppuma simples atitude sua, faz com que cresçamos juntos e melhoremos o nosso trabalho!

E por hoje é só, espero que tenham gostado!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso BlogClique Aqui FVM Learning!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe
Shalom!

sábado, 27 de novembro de 2021

Como Fazer "Crimpar" Cabo de Rede RJ45 - Padrões T586A e T586B - Direto ou Crossover

Fig. 1 - Como Fazer "Crimpar" Cabo de Rede RJ45 - Padrões T586A e T586B - Direto ou Crossover

Olá a Todos!

Os cabos de Rede geralmente tem custos um pouco elevados e os comprimentos pré-fabricados nem sempre são do comprimento de que precisamos. 

Fazer ou Crimpar o seus próprios cabos Ethernet não é difícil, e as ferramentas necessárias, dependendo do modelo, pode ser mais benéficos comprá-las montar os seus próprios cabos de Rede com tamanhos e padrões de sua preferência, de que comprar os cabos pré-fabricados.

Esse é um guia rápido de como Fazer seu próprio Cabo de Rede Ethernet com conectores RJ45 seguindo padrão EIA/TIA de forma rápida e prática, para quem deseja saber mais sobre os Padrões EIA/TIA click no link abaixo.
Os Cabos de Rede são peças fundamentais na transmissão de informações entre periféricos de conexões. 

Para se conseguir transmitir essas informações, em sua grande maioria utilizamos o Cabo de Rede com os conectores de Rede, esses conectores são registrados e padronizados como Conector RJ45, que é um tipo padrão de Plugue físico para cabos de rede. 

O que precisaremos

A lista de ferramenta é "Genérica" por obviedade nem todos nós temos as mesmas ferramentas, e podemos improvisar com outros tipos de ferramentas de trabalho que temos disponíveis em nossa bancada.

No entanto para termos uma base, traremos nessa lista as FERRAMENTAS básica necessária para Crimpar o seu Cabo de Rede.
  • Alicate de Crimpar
  • Alicate de Corte "pode ser uma tesoura"

A Figura 2 abaixo, ilustra as duas ferramentas que utilizamos em ao fazer nosso cabo, vale lembrar que o alicate cortador "Pequeno cinza" não é exatamente necessário, se não tiver, podemos utilizar um alicate de corte, um estilete, uma tesoura, o que preferir.

Fig. 2 - Alicate de Crimpar e alicate de corte para cabo de rede

E a segunda lista, são os MATERIAIS que precisaremos para compor, montar, construir o seu próprio cabo de rede, ilustrada na Figura 3 abaixo. 
  • Conector RJ45
  • Cabo de Rede Ethernet Cat-5e, Cat-6, Cat-6a
Fig. 3 - Conector RJ45 e cabo de Rede Ethernet Cat-6

Tipos de Cabos Ethernet

Existem dois tipos de cabos Ethernet que podemos fazer: Direto ou Crossover.

Cabos Ethernet Diretos

Os cabos Ethernet Diretos são os cabos padrão usados ​​para quase todos os fins e são frequentemente chamados de "cabos de remendo". 

Cabos Ethernet Crossover

Cabos de Ethernet Crossover  conectam diretamente um computador ou dispositivo a outro sem passar por um roteador, switch ou hub.

Padrão a ser escolhido

Os dois padrões já mencionados no início desse artigo Padrão EIA/TIA - T568A e T568B, estão disposto na Figura 4 abaixo. E para começarmos, você precisa escolher o padrão que você vai utilizar 

Ambos os padrões trará o mesmos resultados, mas à título de orientação, no nosso País, geralmente utilizamos o padrão Tipo T568A. Então é esse que escolheremos.
Fig. 4 -Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B

Montagem do Cabo 

Cabo Direto "uso padrão"!

  • Corte a camada plástica de proteção que cobre os fios, na extremidade do cabo como demonstrado na Figura 5 abaixo, utilizando o alicate de corte, ou um estilete, uma tesoura ou o que você tiver.

Fig. 5 -Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Desencapando o cabo

  • Desenrole e separe os 4 pares de cores semelhantes como ilustrado na Figura 6 abaixo. Desenrole os pares de cores correspondentes,  empareie os fios seguindo a sequencia do padrão escolhido, alinhe um ao lado do outro.
Fig. 6 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Separando os Pares

  • Agora faça o corte dos fios com aproximadamente 1.5cm de comprimento, essa medida fará com que o cabo seja crimpado e evitar um problema de a crimpagem pegar nos fios, não no cabo, ao encaixar no conector RJ45.

    O alicate de crimpagem já tem um cortador, você pode estar utilizando ele mesmo, como mostrado na Figura 7 abaixo.
Fig. 7 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Cortando os fios à 1.5cm

  • O ideal é deixar todos os fios o mais alinhados possível, ficando assim como ilustrado na Figura 8 abaixo.

    É importante lembrar que devemos seguir a sequencia e não cometer engano quanto aos pares, as vezes as cores se parecem, então fique atento para não comentar engando algum.
Fig. 8 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Alinhando a sequência de cores

  • Cuidadosamente encaixe os 4 pares de fios no conector, seguindo a sequencia escolhida na Figura 4.

    Verifique a posição da capa plástica, ela deve ficar no ponto onde será crimpado, e também deve-se ficar atento para o encaixe dos fios até o final do conector, como mostrado na Figura 9 abaixo.

    Note também que a capa cinza que cobre todo os fios está exatamente na aleta do plug RJ45 que na hora de crimpar ele também prende o cabo para não ficar puxando os fios, e com um tempo os fios dão defeitos, pois ficam folgados e dão mal contato.
Fig. 9 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Encaixando o cabo de rede no conector

  • Depois de tudo alinhado, coloque o Conector RJ45 com o cabo dentro, com cuidado para não soltar ou folgar, no Alicate Crimpador, como ilustrado na Figura 10 abaixo.
Fig. 10 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Crimpando o cabo de rede

  • Repare como fica o outro lado do Alicate Crimpador com o conector RJ45, depois de alinhado corretamente, é só apertar até o fim, dependendo do alicate, tem uns que dão un "click", para indicar que foi feito a crimpagem.
Fig. 11 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Crimpando o cabo de rede

Pronto!!! Você acaba de concluir um dos lados do cabo, para fazer o outro, é só repetir as mesmas etapas ilustradas acima.

Cabo Crossover

Para se fazer um cabo Crossover "cruzado", é simplesmente fazer-se uma das extremidades do cabo com o padrão Tipo T586A e a outra extremidade do Tipo T586B. Seguindo o mesmos passos ilustrados acima, como ilustrado na Figura 12 abaixo.
Fig. 12 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Cabo Crossover


E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!


Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui FVM Learning!!!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom