FVM Learning

Nosso maior compromisso é compartilhar conhecimentos, somos simples mas não simplórios, astuto mas não pacóvio, nos posicionamos empenhados em mostrar o caminho para desmistificação do opróbrio em legítima defesa do conhecimento compartilhado. Eng. Jemerson Marques.

domingo, 8 de dezembro de 2019

Piscando LEDs sem delay() utilizando Função millis() - Blink LEDs Without Delay

Piscando LEDs sem delay() utilizando Função millis() - Blink LEDs Without Delay

Olá a Todos!!!

Fazer LEDs piscar em alguns tipos de embarcados como os: Arduínos, os ESP8266, ou os ESP32 é bastante simples para qualquer um com conhecimento básico fazer, no entanto, temos um grande problema quando utilizamos a função delay(), que é a função básica para fazer um led Piscar, devido a essa função pausar o andamento do processamento de um microcontrolador, fazendo com que o tempo de delay mantenha os Embarcados tecnicamente parados a espera daquele tempo determinado acabar.
No post de hoje, iremos mostrar como programar os: Arduínos, os ESP8266, ou os ESP32 para piscar 1, 2, 3, 4... ou quanto de LEDs você quiser colocar, sem a utilização da função delay(), iremos utilizar a função mills(), que contará o tempo sem pausar as atividades e processamento dos microcontroladores, e através dessa básica noção é que poderemos não só fazer os LEDs piscarem, mas muitas das vezes precisamos executar uma atividade, por exemplo piscar um LED, ao mesmo tempo que precisamos fazer a leitura de algum sensor, ou pressionar um botão, ao mesmo tempo de duas atividade remanescentes, e nos embarcados, muitas vezes terminamos por utilizar a função delay, pausando nossa sketch e prejudicando o funcionamento de nosso programa, como a leitura errada do sensor ou o não funcionamento do pressionar o botão para acionar outras atividades.

Funcionamento da função Delay();

A função Delay(), pausa o programa por uma quantidade especificada de tempo (em milissegundos). Cada segundo equivale a 1000 milissegundos, e sua sintaxe é: delay(ms), cujo o parâmetro ms é o número de milissegundos para pausar o programa, e não retorna nada. 

Funcionamento da função Millis();

A unção Millis(), retorna o número de milissegundos passados desde que o embarcado começou a executar o programa. Esse número irá sofrer overflow (chegar ao maior número possível e então voltar pra zero), após aproximadamente 50 dias. sua sintaxe é: time = millis(), não tendo nenhum parâmetro e, retorna o número de milissegundos passados desde que o programa iniciou (unsigned long).

Ao compararmos as funções Delay e a função Millis, podemos visualizar claramente o modo de trabalho de cada um e o porque não devemos utilizar a função delay com projetos mais elaborados, não estamos falando de um pequeno código que sirva apenas para piscar um LED sem muito controle e leitura de sensores simultâneo e etc., estamos falando de programas que necessitam fazer leituras simultâneas, piscar LEDs e variar um PWM tendo que ficar lendo um botão para ver se foi pressionando ou não, isso é necessário realmente utilizar a função millis, pois com o delay fica impossível um código desses funcionar de forma estabilizada.

Nos nossos testes utilizamos o NodeMCU ESP8266, mas a mesma Sketch servirá tanto para o NodeMCU como para o Arduíno, como sugerido na Figura 2 abaixo, a diferença em utilizar o NodeMCU e o Arduíno, é que o NodeMCU não é necessário a utilização de resistores limitadores de corrente em série com os LEDs, devido a GPIO ou seja, a saída do NodeMCU em nível alto ser de 3.3V, que é o valor próximo de alimentação dos LEDs, e no Arduíno, a saída é de 5V, necessitando assim os resistores de limitação, e será também necessário setar a definições do número da GPIO do Arduíno pelo qual está conectado cada LED.
Fig. 2 - Esquemático de ligação dos Leds no Arduíno

A sketch do Código

A Sketch completa do código está disposto logo abaixo para poder baixar, é bem simples de entender e tem uma eficácia muito boa.

E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui FVM Learning!!!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Transmissor de FM de Média Potência com 2N2218

Transmissor de FM de Média Potência com 2N2218

Olá a Todos!!!

Fig. 1 - Transmissor de FM de Média Potência com 2N2218
No post de hoje, iremos montar um simples transmissor de FM de média potência com o transistor 2N2218, com um ótimo alcance que pode chegar a mais de 1Km de distância, e tudo isso com um único transistor, o circuito oscilador tem um range de frequência que pode ser sintonizado na faixa de Freqüência Modulada, FM entre 88 à 108 Mhz, o circuito é bastante estável, e com uma boa fonte de alimentação podemos utiliza-lo como um pequeno link de transmissão de audio, como uma pequena rádio comunitária e etc. com facilidade, e com uma ótima qualidade de som.
O circuito transmissor de FM Frequência Modulada  é um dispositivo sem fio que opera em uma faixa de alta frequência, ele é capaz de transmitir sinais de audio para a atmosfera através de ondas eletromagnéticas, e pode ser recebido por um circuito receptor de FM sintonizado em mesma frequência que o transmissor, para reproduzir sinais de; músicas, voz, instrumentos musicais e etc.,  no receptor de FM.



Características

  • Alta sensibilidade de captação de audio
  • Tensão de alimentação de 12V 
  • Circuito simples de montar
  • Alcance média em condição favorável 1Km
  • Fácil montagem

Obs. Existem Leis a respeito da telecomunicação, não utilize equipamentos de telecomunicação sem a autorização das entidade responsável pela transmissão de Rádio Frequências. Nosso site ensina eletrônica aplicada a vários seguimentos, tudo isso para incrementar o conhecimento, não apoiamos qualquer tipo de operação ilegal. Para qualquer operação com RF, entre e certifique-se da legalização no órgão responsável. ANATEL - Agência Nacional de Telecomunicações.


Aplicação

  • Transmissor de audio
  • Link de audio para instrumentos
  • Microfones sem fios
  • Microfone Espião
  • Rádio de FM caseira
O diagrama esquemático do transmissor está disposto na figura 2 abaixo. A modulação e audio, é feita por um microfone de eletreto, o que não nos impede de tirarmos o resistor 1 e utilizar uma saída de linha de uma fonte de áudio. O ajuste da frequência é ajustada através do CV1. A bobina L1 deve ter de 4 a 5 voltas de fio esmaltado 22 AWG com diâmetro de 1 cm com núcleo de ar, a antena pode ser um pedaço de fio rígido com um comprimento entre 15 a 40cm, e deve ser soldada próximo ao meio da bobina, a partir da segunda bobina depois do coletor do transistor, e todos os capacitores são de cerâmicos.  
Fig. 2 - Circuito Transmissor de FM de Média Potência com 2N2218

Lista de Materiais

T 1 ------------------- Transistor NPN 2N2218 ou 2N2219
R1 -------------------- Resistor 1/8w 4.7K
R2 -------------------- Resistor 1/8w 5.6K
R3 -------------------- Resistor 1/8w 2.2K
R4 -------------------- Resistor 1w 33 Ohms
C1, C4 -------------- Capacitor cerâmico/poliéster 220nF
C2 ------------------- Capacitor cerâmico/poliéster 2n2
C3 ------------------- Capacitor cerâmico/poliéster 5.6pF
Mic ------------------ Microfone de Eletreto
CV1 ----------------- Trimmer porcelana 3.3pF
Bobina -------------- Ver texto
Outros -------------- Fios, Soldas e Etc.


E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!


Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.


Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui - FVM Learning!!!
Forte abraço.

Deus vos Abençoe
Shalom

quinta-feira, 5 de dezembro de 2019

Fonte Regulável 1.2 à 37V Alta Corrente 20A com LM317 e TIP35C

Circuito Fonte Regulável 1.2 à 37V Alta Corrente 20A com LM317 e TIP35C

Olá a Todos!!!

Nós do FVML, já dispomos vários circuitos de fontes ajustáveis para bancada de vários modelos e correntes diferentes, para todos os gostos aqui no nosso site e em nosso canal no youtube.
No post de hoje, iremos apresentar um circuito Fontes de Alimentação Variável de Alta corrente, que chegam a trabalhar tranquilamente com 20 Amperes.
E utilizaremos o velho, maravilhoso, e bastante conhecido LM317, que é um Circuito Integrado regulador de tensão positiva variável com um range de 1.25 à 37V, e 1.5 Amperes, para fazermos uma fonte apropriada, é necessário ter uma corrente bem maior que 1.5A, então é aí que entra os transistores de potência, são eles que vão incrementar a corrente sem variar a tensão, pois essa função de variação fica por conta do LM317, e o fator corrente, fica por conta dos transistores que nesse circuito iremos utilizar o TIP35C.

Funcionamento do Circuito

O LM317 é um regulador de tensão positiva variável, que é o responsável por variar a tensão de saída e entregar a base dos transistores de potência essa tensão variável, que em conjunto com os outros transistores formam um booster de alta corrente, e que dependendo da quantidade de transistor e a soma das correntes de cada transistor, formamos uma fonte variável de alta potência, a tensão que vem da fonte entra diretamente no coletor dos TIP35C, e é controlada através da varição da tensão de entrada na base, e por sua vez a tensão que sairá do emissor, estará diretamente relacionado com o controle da tensão de saída do LM317, é necessário a utilização de um dissipador de calor, pois essa energia de retenção é convertida em calor.  
O TIP35C é um transistor Mospec de Alta Potência, com capacidade de corrente de coletor de 25A contínuos, fazendo assim o transistor perfeito para esse projeto, com Vce e Vbe, Tensão de Coletor Emissor, e Tensão de Coletor Base, de 100V, vale lembrar que essas configurações referem-se ao TIP35C, existe o TIP35 = 40V, o TIP35A = 60V, o TIP35B = 80V e o TIP35C = 100V, então para esse projeto você pode utilizar para maior eficiência, o TIP35C.

O diagrama esquemático do circuito elétrico está disposto na Figura 2, que apresenta a disposição dos componentes e suas conexões para seguirmos com a montagem, que no contexto geral, é bastante simples de se montar, e demonstra um grande eficacia.
Fig. 2 - Diagrama Esquemático Circuito Fonte Regulável - 1.25V ~ 37V,  20A  CI LM317 e TIP35C

Lista de Material
  • CI ------------------------- Circuito Integrado regulador de tensão LM317
  • D1 ------------------------- Diodos retificadores de silício KBPC5010
  • D2, D3, D4, D5 --------- Diodos retificadores de silício 1N4007
  • C1 –----------------------- Capacitor eletrolítico 4700 uF - 45V 
  • C2, C3 ------------------- Capacitor Cerâmico / Poliéster 0,1 uF
  • R1 ------------------------ Resistor 220 ohms 1/4W – (vermelho, vermelho, marrom)
  • R2 ------------------------ Resistor 10K ohms - 1/4 W – (marrom, preto, laranja)
  • R3, R4 ------------------- Resistor 0.47 ohms - 5W – (amarelo, violeta, prata)
  • P1 ------------------------ Potenciômetro linear ou logarítmico 5k ohms
  • Outros ------------------- Fios, Soldas, Bornes, Etc.

E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui - FVM Learning!!!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom


domingo, 1 de dezembro de 2019

Amplificador Hi-End de 56W RMS com o CI LM3875

Amplificador Hi-End de 56W RMS com o CI LM3875

Olá a Todos!!!!

No post de hoje, iremos montar um Amplificador de Audio Hi-End, de alta performance, capaz de produzir uma excelente qualidade de audio, utilizando o circuito integrado LM3875.
O LM3875 é um amplificador de audio de potência de alto desempenho amplificador capaz de fornecer 56W de potência contínua em carga de com THD + N a 0,1% de 20Hz a 20KHz.
O LM3875 tem circuito de proteção de temperatura instantânea com auto pico (°Ke) (SPiKe), o que coloca-o em uma classe acima de amplificadores discretos e híbridos, fornecendo inerentemente área de operação segura (SOA) protegida dinamicamente pelos circuitos.
Proteção SPiKe, isso significa que todo o circuito é completamente protegidas na saída contra sobretensão, subtensão, sobrecargas causadas por curtos nos saída, fugas térmicas e picos de temperatura instantâneos.
O LM3875 mantém uma excelente taxa de transientes sinal-ruído superior a 95dB (min), com um nível típico de baixo ruído de 2,0μV. Exibe valores THD + N extremamente baixos de 0,06% para a  carga de alimentação nominal de 84V sobre o espectro de áudio e fornece excelente linearidade com uma classificação típica do IMD (SMPTE) de 0,004%.

Características do LM3875

  • Potência de saída média contínua de 56W em 8Ω
  • Capacidade de saída de pico instantânea de 100W
  • Relação sinal-ruído> 95dB (min)
  • Proteção de saída de curto para o terra ou para os suprimentos via circuito interno de limitação de corrente
  • Proteção contra sobretensão de saída contra transientes de cargas indutivas
  • Fornece proteção contra subtensão, não permitindo a polarização interna quando | V + | + | V− | ≤ 12V, eliminando, assim, os transientes de ativação são desativados
  • Pacote de 11 PFM de chumbo
  • Ampla faixa de tensão de alimentação: | V + | + | V− | = 20V a 84V
  • Distorção harmônica total (THD) inferior a 0,03% na faixa de frequência de 20Hz a 20kHz e na faixa de alimentação de +/- 40V.
Na figura 2 abaixo, temos o diagrama esquemático do Amplificador Hi-End de 56W com o CI LM3875.
Fig. 2 - Diagrama esquemático Amplificador Hi-End de 56W RMS com o CI LM3875

Alimentação do Circuito

A alimentação do circuito amplificador é fornecida por uma fonte de alimentação CC, de corrente contínua, podendo ser elaborada através de um  transformador 28-0-28V, que depois de passado pela retificação, ficará em torno de 40V CC, e com pelo menos 5 Amperes. Como vimos nas características do LM3875 acima, ele tem uma ampla faixa de tensão de alimentação, o que podemos utilizar uma fonte de menor tensão ou de maior tensão, podemos fazer com o que temos em nossa bancada.

Lista de materiais

  • CI 1 ----------------- Circuito Integrado LM3875T
  • R1, R4 -------------- Resistor 1/8w 22K
  • R2, R3 -------------- Resistor 1/8w 1K
  • R5 ------------------- Resistor 2w
  • C1 ------------------- Capacitor cerâmico/poliéster 220pF
  • C2 ------------------- Capacitor Eletrolítico 22uF
  • C3, C4 -------------- Capacitor Eletrolítico 470uF
  • C5, C6, C7 --------- Capacitor cerâmico/poliéster 100nF
  • P1 ------------------- Potenciômetro 47K
  • Outros -------------- Fios, Soldas e Etc.
E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui - FVM Learning!!!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom

terça-feira, 26 de novembro de 2019

O que é Protocolo MQTT e como Funciona? Principais Aplicações

O que é Protocolo MQTT e como Funciona? Principais Aplicações

Olá a Todos!!!

No post de hoje, iremos entender o que é o protocolo MQTT (Message Queuing Telemetry Transport), de que forma ele funciona, e quais são suas principais aplicações no mundo IoT.

O que é MQTT?

Fig 1 - O que é Protocolo MQTT e como Funciona?
MQTT é um protocolo de mensagens publish/subscribe, projetado para o transporte de telemetria em enfileiramento de mensagens simples e leve, com baixa largura de banda, e protocolo de conectividade  machine-to-machine (M2M) ou "máquina para máquina", que funciona no topo do protocolo TCP / IP
Ele foi projetado para conexões remotos onde um "pequeno tamanho de código" é necessário ou a largura de banda da rede é limitada.
Ao utilizar o protocolo MQTT, você pode enviar comandos para controlar portas de saídas, ler e publicar dados de sensores, controlar remotamente esses dispositivos e muito mais. Você pode estabelecer comunicação entre vários dispositivos.

Quem projetou o MQTT?

O MQTT foi projetado pelo Dr. Andy Stanford-Clark, da IBM, e Arlen Nipper, da Arcom (atual Eurotech), em 1999, para fazer a conexão dos sistemas de telemetria de oleoduto por satélite.
Embora tenha começado como um protocolo proprietário, foi liberado Royalty livre em 2010 e tornou-se um padrão OASIS em 2014.

Quais os Padrões do MQTT?

Existem as versões V5.0 e V3.1.1 que agora são padrões OASIS (V3.1.1 também foi ratificado pela ISO).
Como o MQTT está relacionado ao protocolo SCADA e ao MQIsdp?
O “protocolo SCADA” e o “MQ Integrator SCADA Device Protocol” (MQIsdp) são nomes antigos do que agora é conhecido como MQ Telemetry Transport (MQTT). O protocolo também é conhecido como “WebSphere MQTT” (WMQTT), embora esse nome também não seja mais utilizado.

O MQTT utiliza alguma portas padrão?

Certamente sim. A porta padrão utilizada pelo MQTT TCP / IP 1883 que é uma porta reservada com o IANA para uso com o MQTT. A porta TCP / IP 8883 também está registrada, para usar o MQTT sobre SSL.

O MQTT tem suporte para segurança?

Podemos passar um nome de usuário e senha com um pacote MQTT na V3.1 do protocolo. A criptografia através da rede pode ser tratada com SSL, independentemente do protocolo MQTT em si (vale a pena notar que o SSL não é o mais leve dos protocolos e adiciona uma sobrecarga de rede significativa). Segurança adicional pode ser adicionada por um aplicativo que criptografa dados que envia e recebe, mas isso não é algo embutido no protocolo, a fim de mantê-lo simples e leve.

Quais são as vantagens do MQTT?

O protocolo MQTT permite que seu sistema SCADA acesse dados da IoT. O MQTT traz muitos benefícios poderosos para o seu processo:
  • Distribua informações com mais eficiência
  • Aumentar a escalabilidade
  • Reduza drasticamente o consumo de largura de banda da rede
  • Reduza as taxas de atualização para segundos
  • Muito adequado para sensoriamento remoto e controle
  • Maximizar a largura de banda disponível
  • Sobrecarga extremamente leve
  • Muito seguro com segurança baseada em permissão
  • Usado pela indústria de petróleo e gás, Amazon, Facebook e outras grandes empresas
  • Economiza tempo de desenvolvimento
  • O protocolo de publicação / assinatura coleta mais dados com menos largura de banda em comparação com os protocolos de pesquisa.

Como o MQTT Funciona

MQTT é um protocolo de publicação / assinatura que permite que dispositivos de borda de rede publiquem em um broker. Os clientes se conectam a esse broker, que medeia a comunicação entre os dois dispositivos. Cada dispositivo pode se inscrever ou se registrar em tópicos específicos. Quando outro cliente publica uma mensagem em um tópico inscrito, o broker encaminha a mensagem para qualquer cliente que se inscreveu.
MQTT é bidirecional e mantém o reconhecimento da sessão com estado. Se um dispositivo de borda de rede perder a conectividade, todos os clientes inscritos serão notificados com o recurso "Última Vontade e Testamento" do servidor MQTT, para que qualquer cliente autorizado no sistema possa publicar um novo valor de volta no limite de borda dispositivo de rede, mantendo a conectividade bidirecional.
A leveza e eficiência do MQTT possibilitam aumentar significativamente a quantidade de dados que estão sendo monitorados ou controlados. Antes da invenção do MQTT, aproximadamente 80% dos dados eram deixados em locais remotos, embora várias linhas de negócios pudessem ter usado esses dados para tomar decisões mais inteligentes. Agora, o MQTT torna possível coletar, transmitir e analisar mais dados sendo coletados.
Diferentemente do modelo usual de consulta / resposta de muitos protocolos, que tendem a saturar desnecessariamente as conexões de dados com dados inalteráveis, o modelo de publicação / assinatura do MQTT maximiza a largura de banda disponível.

Principais Aplicações

O protocolo MQTT, foi a princípio um protocolo utilizado para realizar conexões dos sistemas de telemetria de oleoduto por satélite, como já mencionado nos tópicos acima, mas que atualmente se expandiu e largos passos na história dos sistemas de automação, devido ao seu protocolo de mensagens publish/subscribe, projetado para o transporte de telemetria em enfileiramento de mensagens simples e leve, com baixa largura de banda, protocolo de conectividade M2M que funciona no topo do protocolo TCP / IP, ele é bastante utilizado em conexões remotos e com poucas linhas de código para fazê-lo funcionar. Com esse protocolo, podemos enviar comandos para controlar portas GPIO de uma central de controle, como os ESP8266, ESP32, Arduínos entre outros, já bastante difundidos aqui em nosso Blog, podendo ler e publicar dados de sensores, controlar remotamente esses dispositivos e muito mais. Você pode estabelecer comunicação entre vários outros dispositivos, tais como integração entre Assistentes virtuais, como o Echo Dot Alexa, Google Home entre outros.

Documentação MQTT em Inglês

Especificações de Protocolo

O MQTT v3.1.1 é um padrão ISO e OASIS mais antigo. A especificação está disponível no site da OASIS em Inglês na página Web em HTML ou em PDF.

O MQTT v5.0 é um padrão OASIS. A especificação está disponível no site da OASIS em Inglês na página Web em HTML ou em PDF.

Para referência com versão anterior do MQTT v3.1 está disponível Aqui.

O MQTT-SN v1.2, conhecido como MQTT-S, está disponível Aqui. O MQTT para redes de sensores é destinado a dispositivos incorporados em redes não TCP / IP, como o Zigbee.
O MQTT-SN é um protocolo de mensagens de publicação / assinatura para redes sem fio de sensores (WSN), com o objetivo de estender o protocolo MQTT além do alcance da infraestrutura TCP / IP para soluções de sensores e atuadores.

E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui - FVM Learning

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom


quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Amplificador Classe AB de Alto Desempenho 40 Watts RMS com CI LM2876

Amplificador Classe AB de Alto Desempenho 40 Watts RMS com CI LM2876

Olá a Todos!!!

No post de hoje, iremos montar um circuito Amplificador de potência Classe AB de Alto Desempenho 40 Watts RMS com sistema de mute com o Circuito Integrado LM2876.
O CI LM2876 é um amplificador de potência de áudio de alto desempenho capaz de fornecer 40W de potência média contínua para uma carga de com THD + N a 0,1% de 20Hz a 20kHz.
O desempenho do LM2876, utilizando seu circuito de proteção de temperatura instantânea com auto pico (˚Ke) (SPiKe ), coloca-o em uma classe acima dos amplificadores híbridos e discretos fornecendo uma Área Operacional Segura (SOA) inerentemente protegida dinamicamente. A proteção SPiKe significa que esses as peças são completamente protegidas na saída contra sobretensão, subtensão, sobrecargas, incluindo curtos-circuitos suprimentos, fuga térmica e temperatura instantânea picos.
O LM2876 mantém uma excelente relação sinal / ruído de superior a 95dB (min) com um piso típico de baixo ruído 2,0µV. Apresenta valores extremamente baixos de THD + N de 0,06% a a saída nominal para a carga nominal no espectro de áudio, e fornece excelente linearidade com um padrão IMD (SMPTE) classificação de 0,004%.

Características

  • 40W de potência média contínua de saída em 8Ω
  • Capacidade de potência de saída de pico de 75 W
  • Relação sinal / ruído ≥ 95 dB (min)
  • Uma função de mudo de entrada
  • Proteção de saída de curto para o solo ou para o suprimentos via circuito interno de limitação de corrente
  • Proteção contra sobretensão de saída contra transientes de cargas indutivas
  • Fornece proteção contra subtensão, não permitindo polarização para ocorrer quando | VEE | + | VCC | ≤ 12V, assim eliminando transientes de ativação e desativação
  • Pacote TO-220 de 11 derivações
  • Ampla faixa de fornecimento 20V - 72V

Aplicações

  • Estéreo componente
  • Som compacto
  • Caixa ativo
  • Amplificadores de som surround
  • TVs estéreo de última geração

Disposições dos componentes

O diagrama esquemático está disposto logo abaixo na figura 2, e é bastante simples. Os componentes que estão marcados com "Asteriscos * ", são opcionais, só deverá ser utilizados se a questão qualidade e desempenho como sugerido no título, for importante, porém para utilização com amplificador de Sub-Woofer, ou amplificador de som com poucos critérios de audiófilos, você pode está utilizando sem esses componentes.
Fig 2 - Amplificador Classe AB de Alto Desempenho 40 Watts RMS com CI LM2876
O potenciômetro Pin é de 10k e deve ser logarítmico, é ele quem ajusta a amplitude do sinal de entrada. O capacitor eletrolítico C 10uF é quem desacopla o sinal de entrada. CS é o filtro e o desvio de tensão de alimentação, deve ser pelo menos 1000uF ou maior, com uma classificação de tensão maior que a tensão de alimentação. Se você planeja usar este amplificador em potência mais alta (em torno de seus limites), é recomendável usar um capacitor maior (por exemplo, 4700uF). RA1 91k, RA2 100k, CA1 0,1uF, RM 10K, CM 100uF juntos formam o circuito que mantém a função mudo desativada. O feedback da saída do amplificador (do pino 3), juntamente com o RSN 2,7 ohm, CSN 0,1uF, Rf1 20k, Cf 50pF, Rf2 20k, R1, CI 10uF e Cc 220pF estabiliza a saída e ajuda a manter um ganho de unidade , também é usado para influenciar o amplificador com uma única fonte, o capacitor de saída COUT 4700uF, * L 0.7uH e com o indutor em paralelo, há um resistor de 10 ohms conectado. Esses componentes são utilizados como filtro de saída do amplificador, para não deixar corrente DC nos alto-falantes, também cortam frequências muito baixas e muito altas. Quanto maior o Cout, maior será as baixas frequências, ou seja, mais graves, e quanto maior o valor do indutor * L, menor será a altas frequências. Você pode estar modificando e testando o que melhor se adapta ao seu gostos.

E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui - FVM Learning

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom