FVM Learning

Nosso maior compromisso é compartilhar conhecimentos, somos simples, mas não simplórios, astuto, mas não pacóvio, nos posicionamos empenhados em mostrar o caminho para desmistificação do opróbrio em legítima defesa do conhecimento compartilhado. Eng. Jemerson Marques!
Mostrando postagens com marcador CPD - TI. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador CPD - TI. Mostrar todas as postagens

domingo, 5 de dezembro de 2021

Padrão de Cores Cabo de Rede RJ45 - T568A e T568B - Padrão EIA/TIA

Olá  a Todos!

Para aqueles que já são mais antigos na profissão de TI, devem lembrar que no passado a algumas décadas atrás, não havia nenhuma norma que regesse os padrões para ligações de cabeamentos das redes estruturadas. 

As normas eram determinada pela definição escolhida pelas empresas ou mesmo o profissional de instalação da rede cabeada, e com isso, já podemos imaginar como era você dar uma manutenção ou mesmo modifica a estrutura de rede de uma empresa, executado por outra empresa ou profissional. 

Padrões TIA/EIA 

Com crescimento eminente da tecnologia e infra-estrutura das redes cabeadas, houve a necessidade de padronizar todo o sistema de estrutura de rede. 

Foi então que em meados de 1991 surgiram os padrões TIA/EIA 568A e 568B desenvolvido pela (EIAElectronic Industries Association e pela (TIATelecommunications Industry Associationpara normatização das ligações elétricas/eletrônicas dos cabos de rede e sua conexões. 

Em 1994 a norma 568A foi revisada contemplando cabeamentos Categoria 4 e 5 (UTP – Unshielded Twisted Pair) e em 2001 foi publicada a norma EIA/TIA 568-B que  trata de 10 categorias diferentes. 

Você pode se interessar também:

Norma Brasileira ABNT

A norma Brasileira que rege os padrões está descrita na ABNT (Agência Brasileira de Normas Técnicas14565: 2000 baseada na ISO/IEC 11801.

O padrão definido pela TIA\EIA-568 indica a combinação das conexões de pares trançados e as combinações de cores das pinagem dos conectores do RJ45

Categorias T568A e T568B

Existem duas categorias diferentes dos padrões, TIA/EIA, são: T568A e o T568B, são os padrões de terminação usados ​​por Provedores de Internet, Infraestrutura de Backbone, Infraestrutura de Cabeamento Industrial, e como também por pequenas empresas e cabeamento residenciais.

No entanto, a diferença entre essas duas categorias se dão aos pares; laranja/branco verde/branco, que correspondem aos pinos 1 & 2, 3 & 6, serem trocados na montagem do cabo.

Fig. 1 - Padrão de Cores Cabo de Rede RJ45 - T568A e T568B - Padrão EIA/TIA

Vale lembrar que mesmo com as mudanças do conjunto de pares, quando se usa mesmos padrões em ambas extremidades do cabo, os resultados serão os mesmos, tendo suas configurações com conexões diretas em suas extremidades.

Na Tabela 1 abaixo, temos a configuração dos pinos e suas correspondentes cores, seguindo os dois padrões lado a lado para comparação.

Tabela Sequencial de Cores e Pinagem

PinoT568AT568B
1Branco/VerdeBranco/Laranja
2Verde        Laranja
3Branco/LaranjaBranco/Verde
4AzulAzul   
5Branco/AzulBranco/Azul
6LaranjaVerde
7Branco/MarromBranco/Marrom
8MarromMarrom


O padrão T568A é o padrão amplamente mais aceito, porque é compatível com a maioria dos esquemas de fiação e o que recomendo para a maioria das aplicações.


Cabo Crossover

Os cabos Cross-Over "cabo cruzado" utilizam os padrões T568A T568B em cada extremidade como ilustrado na Figura 2 abaixo, esses categorias de cabos são utilizados quando precisamos, por exemplo, dois Computadores sem a utilização de um Roteador, ou Switch.

Fig. 2 - Ligação de Cabo Crossover Padrões T468A e T468B

É válido lembrar que se você ainda utiliza equipamentos mais antigos, não se deve conectar cabos do tipo cross-over entre o computador e um switch, roteador, pois em alguns casos, podem danificar os equipamentos. 

Agora se você trabalha com os equipamentos mais modernos, mais recentes, eles utilizam tecnologia do tipo AUTO MDI/MDIX, que fazem com que o próprio equipamento identifique a interface conectada automaticamente, e mesmo sendo do tipo cross-over não ha problema algum, pois ele se configura automaticamente. 

Pessoal, o trabalho é grande, escrever, montar, testar, elaborar a PCI, armazenar para baixar, tudo isso dá muito trabalho, e não cobramos nada por isso!

Então nos ajude a divulgar nosso trabalho, compartilha nas redes sociais, Facebook, Instagram, nos grupos de WhatsAppuma simples atitude sua, faz com que cresçamos juntos e melhoremos o nosso trabalho!

E por hoje é só, espero que tenham gostado!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso BlogClique Aqui FVM Learning!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe
Shalom!

sábado, 27 de novembro de 2021

Como Fazer "Crimpar" Cabo de Rede RJ45 - Padrões T586A e T586B - Direto ou Crossover

Fig. 1 - Como Fazer "Crimpar" Cabo de Rede RJ45 - Padrões T586A e T586B - Direto ou Crossover

Olá a Todos!

Os cabos de Rede geralmente tem custos um pouco elevados e os comprimentos pré-fabricados nem sempre são do comprimento de que precisamos. 

Fazer ou Crimpar o seus próprios cabos Ethernet não é difícil, e as ferramentas necessárias, dependendo do modelo, pode ser mais benéficos comprá-las montar os seus próprios cabos de Rede com tamanhos e padrões de sua preferência, de que comprar os cabos pré-fabricados.

Esse é um guia rápido de como Fazer seu próprio Cabo de Rede Ethernet com conectores RJ45 seguindo padrão EIA/TIA de forma rápida e prática, para quem deseja saber mais sobre os Padrões EIA/TIA click no link abaixo.
Os Cabos de Rede são peças fundamentais na transmissão de informações entre periféricos de conexões. 

Para se conseguir transmitir essas informações, em sua grande maioria utilizamos o Cabo de Rede com os conectores de Rede, esses conectores são registrados e padronizados como Conector RJ45, que é um tipo padrão de Plugue físico para cabos de rede. 

O que precisaremos

A lista de ferramenta é "Genérica" por obviedade nem todos nós temos as mesmas ferramentas, e podemos improvisar com outros tipos de ferramentas de trabalho que temos disponíveis em nossa bancada.

No entanto para termos uma base, traremos nessa lista as FERRAMENTAS básica necessária para Crimpar o seu Cabo de Rede.
  • Alicate de Crimpar
  • Alicate de Corte "pode ser uma tesoura"

A Figura 2 abaixo, ilustra as duas ferramentas que utilizamos em ao fazer nosso cabo, vale lembrar que o alicate cortador "Pequeno cinza" não é exatamente necessário, se não tiver, podemos utilizar um alicate de corte, um estilete, uma tesoura, o que preferir.

Fig. 2 - Alicate de Crimpar e alicate de corte para cabo de rede

E a segunda lista, são os MATERIAIS que precisaremos para compor, montar, construir o seu próprio cabo de rede, ilustrada na Figura 3 abaixo. 
  • Conector RJ45
  • Cabo de Rede Ethernet Cat-5e, Cat-6, Cat-6a
Fig. 3 - Conector RJ45 e cabo de Rede Ethernet Cat-6

Tipos de Cabos Ethernet

Existem dois tipos de cabos Ethernet que podemos fazer: Direto ou Crossover.

Cabos Ethernet Diretos

Os cabos Ethernet Diretos são os cabos padrão usados ​​para quase todos os fins e são frequentemente chamados de "cabos de remendo". 

Cabos Ethernet Crossover

Cabos de Ethernet Crossover  conectam diretamente um computador ou dispositivo a outro sem passar por um roteador, switch ou hub.

Padrão a ser escolhido

Os dois padrões já mencionados no início desse artigo Padrão EIA/TIA - T568A e T568B, estão disposto na Figura 4 abaixo. E para começarmos, você precisa escolher o padrão que você vai utilizar 

Ambos os padrões trará o mesmos resultados, mas à título de orientação, no nosso País, geralmente utilizamos o padrão Tipo T568A. Então é esse que escolheremos.
Fig. 4 -Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B

Montagem do Cabo 

Cabo Direto "uso padrão"!

  • Corte a camada plástica de proteção que cobre os fios, na extremidade do cabo como demonstrado na Figura 5 abaixo, utilizando o alicate de corte, ou um estilete, uma tesoura ou o que você tiver.

Fig. 5 -Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Desencapando o cabo

  • Desenrole e separe os 4 pares de cores semelhantes como ilustrado na Figura 6 abaixo. Desenrole os pares de cores correspondentes,  empareie os fios seguindo a sequencia do padrão escolhido, alinhe um ao lado do outro.
Fig. 6 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Separando os Pares

  • Agora faça o corte dos fios com aproximadamente 1.5cm de comprimento, essa medida fará com que o cabo seja crimpado e evitar um problema de a crimpagem pegar nos fios, não no cabo, ao encaixar no conector RJ45.

    O alicate de crimpagem já tem um cortador, você pode estar utilizando ele mesmo, como mostrado na Figura 7 abaixo.
Fig. 7 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Cortando os fios à 1.5cm

  • O ideal é deixar todos os fios o mais alinhados possível, ficando assim como ilustrado na Figura 8 abaixo.

    É importante lembrar que devemos seguir a sequencia e não cometer engano quanto aos pares, as vezes as cores se parecem, então fique atento para não comentar engando algum.
Fig. 8 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Alinhando a sequência de cores

  • Cuidadosamente encaixe os 4 pares de fios no conector, seguindo a sequencia escolhida na Figura 4.

    Verifique a posição da capa plástica, ela deve ficar no ponto onde será crimpado, e também deve-se ficar atento para o encaixe dos fios até o final do conector, como mostrado na Figura 9 abaixo.

    Note também que a capa cinza que cobre todo os fios está exatamente na aleta do plug RJ45 que na hora de crimpar ele também prende o cabo para não ficar puxando os fios, e com um tempo os fios dão defeitos, pois ficam folgados e dão mal contato.
Fig. 9 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Encaixando o cabo de rede no conector

  • Depois de tudo alinhado, coloque o Conector RJ45 com o cabo dentro, com cuidado para não soltar ou folgar, no Alicate Crimpador, como ilustrado na Figura 10 abaixo.
Fig. 10 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Crimpando o cabo de rede

  • Repare como fica o outro lado do Alicate Crimpador com o conector RJ45, depois de alinhado corretamente, é só apertar até o fim, dependendo do alicate, tem uns que dão un "click", para indicar que foi feito a crimpagem.
Fig. 11 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Crimpando o cabo de rede

Pronto!!! Você acaba de concluir um dos lados do cabo, para fazer o outro, é só repetir as mesmas etapas ilustradas acima.

Cabo Crossover

Para se fazer um cabo Crossover "cruzado", é simplesmente fazer-se uma das extremidades do cabo com o padrão Tipo T586A e a outra extremidade do Tipo T586B. Seguindo o mesmos passos ilustrados acima, como ilustrado na Figura 12 abaixo.
Fig. 12 - Crimpar Cabo de Rede - Padrões T586A e T586B - Cabo Crossover


E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!


Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui FVM Learning!!!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom

sábado, 4 de setembro de 2021

O que é IPTV? Como funciona?


Quando se fala de Streaming Online, logo o que se pensa é em IPTV, mas é importante lembrar que mesmo que IPTV use o protocolo de internet IP, ele não se limita a um sistema de transmissão de TV pela internet, ele também é usada para entrega de mídia em redes corporativas e privadas, porém com garantia de qualidade na entrega.

Estamos sendo levados com o impulsionamento das mudanças de paradigma dos modos tradicionais com que são transmitidas, como o sistema de TV a cabo, ou via satélite, para o streaming baseado na Internet, e o IPTV como sistema tem um papel importante a desempenhar nessa fase de transição.

Vamos entender melhor a arquitetura da IPTV, e seu funcionamento mais detalhado para trazer-nos mais clareza sobre os tipos de serviços de IPTV e o futuro da IPTV.

O que é IPTV?

IPTV refere-se a: "Internet Protocol Television" Televisão Por Protocolo de Internet, é um sistema em que o serviço de TV digital é entregue ao cliente "assinante" por meio de tecnologia de protocolo de Internet através de conexão de banda larga na Internet.

E isso é um pouco diferente dos sistemas de vídeo digital que são acessados por milhões de usuários em todo mundo em sites ou mesmos em aplicativos como YouTube, Netflix, Amazon Video, Vimeo etc. 

Também ao contrário da conexão padrão por cabo ou satélite, na IPTV vários aparelhos de TV podem usar uma única assinatura dentro de uma mesma casa e ainda com a vantagem e a conveniência de poder escolherem os programas que desejam assistir quando e onde quiserem, além de sintonizar qualquer programação na TV ao vivo quando transmitido.

Para entender como a IPTV é diferente da TV tradicional, vamos comparar o modo tradicional de assistir TV com a IPTV.

Você pode se interessar também:

Como IPTV Funciona?

Os consumidores através de seus aparelhos, solicitam ao servidor de streaming, e recebem programas de TV solicitados, e os conteúdos de vídeo por meio de redes baseadas em protocolo da Internet (IP), em vez de cabos ou satélites para os telespectadores. 

Diferente de conteúdos de transmissão em tempo real por cabo ou satélite, que funcionam permitindo que os usuários "sintonizem" um canal específico no seu aparelho e não conseguem pausar, ou vê-lo novamente aquele mesmo conteúdo, o IPTV pode armazenar programas no servidor no final da transmissão, permitindo aos usuários solicitar conteúdo pela Internet a qualquer momento.

IPTV usa uma rede baseada em protocolo da Internet (IP) para fornecer canais de TV aos decodificadores dos usuários. 

As redes de Internet são diferentes das redes de cabo e satélite porque fornecem conteúdo por meio dos mesmos modelos de comunicação cliente-servidor, que usa IP (Internet Protocol), um protocolo de transporte que é um mecanismo de entrega, e utilizam os mesmos processos de e-mail, sites e outros serviços baseados na Internet. 

Quando o espectador faz uma solicitação para um programa no IPTV através do controle, o vídeo solicitado, vem de diferentes fontes (servidores) e é dividido em pacotes de dados através da Internet. 

O servidor de vídeo transmite o programa para o cliente através de conexão com a Internet, que podem trafegar os dados por meio do cabo de fibra óptica, Rede 4G, Redes cabeadas, etc. que recebe a solicitação e, envia o programa de volta ao cliente.

E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui FVM Learning!!!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom


terça-feira, 26 de novembro de 2019

O que é Protocolo MQTT e como Funciona? Principais Aplicações

Fig 1 - O que é Protocolo MQTT e como Funciona?

Olá a Todos!!!

No post de hoje, iremos entender o que é o protocolo MQTT (Message Queuing Telemetry Transport), de que forma ele funciona, e quais são suas principais aplicações no mundo IoT.

O que é MQTT?

MQTT é um protocolo de mensagens publish/subscribe, projetado para o transporte de telemetria em enfileiramento de mensagens simples e leve, com baixa largura de banda, e protocolo de conectividade  machine-to-machine (M2M) ou "máquina para máquina", que funciona no topo do protocolo TCP / IP

Ele foi projetado para conexões remotos onde um "pequeno tamanho de código" é necessário ou a largura de banda da rede é limitada.

Ao utilizar o protocolo MQTT, você pode enviar comandos para controlar portas de saídas, ler e publicar dados de sensores, controlar remotamente esses dispositivos e muito mais. Você pode estabelecer comunicação entre vários dispositivos.

Você pode se interessar também!

Quem projetou o MQTT?

O MQTT foi projetado pelo Dr. Andy Stanford-Clark, da IBM, e Arlen Nipper, da Arcom (atual Eurotech), em 1999, para fazer a conexão dos sistemas de telemetria de oleoduto por satélite.

Embora tenha começado como um protocolo proprietário, foi liberado Royalty livre em 2010 e tornou-se um padrão OASIS em 2014.

Quais os Padrões do MQTT?

Existem as versões V5.0 e V3.1.1 que agora são padrões OASIS (V3.1.1 também foi ratificado pela ISO). Como o MQTT está relacionado ao protocolo SCADA e ao MQIsdp?

O “protocolo SCADA” e o “MQ Integrator SCADA Device Protocol” (MQIsdp) são nomes antigos do que agora é conhecido como MQ Telemetry Transport (MQTT). 

O protocolo também é conhecido como “WebSphere MQTT” (WMQTT), embora esse nome também não seja mais utilizado.

O MQTT utiliza alguma portas padrão?

Certamente sim. A porta padrão utilizada pelo MQTT TCP / IP 1883 que é uma porta reservada com o IANA para uso com o MQTT. A porta TCP / IP 8883 também está registrada, para usar o MQTT sobre SSL.

O MQTT tem suporte para segurança?

Podemos passar um nome de usuário e senha com um pacote MQTT na V3.1 do protocolo. A criptografia através da rede pode ser tratada com SSL, independentemente do protocolo MQTT em si (vale a pena notar que o SSL não é o mais leve dos protocolos e adiciona uma sobrecarga de rede significativa). 

Segurança adicional pode ser adicionada por um aplicativo que criptografa dados que envia e recebe, mas isso não é algo embutido no protocolo, a fim de mantê-lo simples e leve.

Quais são as vantagens do MQTT?

O protocolo MQTT permite que seu sistema SCADA acesse dados da IoT. O MQTT traz muitos benefícios poderosos para o seu processo:
  • Distribua informações com mais eficiência
  • Aumentar a escalabilidade
  • Reduza drasticamente o consumo de largura de banda da rede
  • Reduza as taxas de atualização para segundos
  • Muito adequado para sensoriamento remoto e controle
  • Maximizar a largura de banda disponível
  • Sobrecarga extremamente leve
  • Muito seguro com segurança baseada em permissão
  • Usado pela indústria de petróleo e gás, Amazon, Facebook e outras grandes empresas
  • Economiza tempo de desenvolvimento
  • O protocolo de publicação / assinatura coleta mais dados com menos largura de banda em comparação com os protocolos de pesquisa.

Como o MQTT Funciona?

MQTT é um protocolo de publicação / assinatura que permite que dispositivos de borda de rede publiquem em um broker. Os clientes se conectam a esse broker, que medeia a comunicação entre os dois dispositivos. Cada dispositivo pode se inscrever ou se registrar em tópicos específicos. 

Quando outro cliente publica uma mensagem em um tópico inscrito, o broker encaminha a mensagem para qualquer cliente que se inscreveu.

MQTT é bidirecional e mantém o reconhecimento da sessão com estado. Se um dispositivo de borda de rede perder a conectividade, todos os clientes inscritos serão notificados com o recurso "Última Vontade e Testamento" do servidor MQTT, para que qualquer cliente autorizado no sistema possa publicar um novo valor de volta no limite de borda dispositivo de rede, mantendo a conectividade bidirecional.

A leveza e eficiência do MQTT possibilitam aumentar significativamente a quantidade de dados que estão sendo monitorados ou controlados. 

Antes da invenção do MQTT, aproximadamente 80% dos dados eram deixados em locais remotos, embora várias linhas de negócios pudessem ter usado esses dados para tomar decisões mais inteligentes. Agora, o MQTT torna possível coletar, transmitir e analisar mais dados sendo coletados.

Diferentemente do modelo usual de consulta / resposta de muitos protocolos, que tendem a saturar desnecessariamente as conexões de dados com dados inalteráveis, o modelo de publicação / assinatura do MQTT maximiza a largura de banda disponível.

Principais Aplicações

O protocolo MQTT, foi a princípio um protocolo utilizado para realizar conexões dos sistemas de telemetria de oleoduto por satélite, como já mencionado nos tópicos acima, mas que atualmente se expandiu e largos passos na história dos sistemas de automação, devido ao seu protocolo de mensagens publish/subscribe, projetado para o transporte de telemetria em enfileiramento de mensagens simples e leve, com baixa largura de banda, protocolo de conectividade M2M que funciona no topo do protocolo TCP / IP, ele é bastante utilizado em conexões remotos e com poucas linhas de código para fazê-lo funcionar. 

Com esse protocolo, podemos enviar comandos para controlar portas GPIO de uma central de controle, como os ESP8266, ESP32, Arduínos entre outros, já bastante difundidos aqui em nosso Blog, podendo ler e publicar dados de sensores, controlar remotamente esses dispositivos e muito mais. 

Você pode estabelecer comunicação entre vários outros dispositivos, tais como integração entre Assistentes virtuais, como o Echo Dot Alexa, Google Home entre outros.

Documentação MQTT em Inglês

Especificações de Protocolo

O MQTT v3.1.1 é um padrão ISO e OASIS mais antigo. A especificação está disponível no site da OASIS em Inglês na página Web em HTML ou em PDF.

O MQTT v5.0 é um padrão OASIS. A especificação está disponível no site da OASIS em Inglês na página Web em HTML ou em PDF.

Para referência com versão anterior do MQTT v3.1 está disponível Aqui.

O MQTT-SN v1.2, conhecido como MQTT-S, está disponível Aqui. O MQTT para redes de sensores é destinado a dispositivos incorporados em redes não TCP / IP, como o Zigbee.

O MQTT-SN é um protocolo de mensagens de publicação / assinatura para redes sem fio de sensores (WSN), com o objetivo de estender o protocolo MQTT além do alcance da infraestrutura TCP / IP para soluções de sensores e atuadores.

E por hoje é só, espero que tenham gostado!!!

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui - FVM Learning

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom


segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Como Instalar a Biblioteca Blynk na IDE Arduíno

Como Instalar a Biblioteca Blynk na IDE Arduíno

Olá a Todos!!!

No post de hoje, nós iremos fazer um rápido passo a passo de como instalar a biblioteca do APP Blynk na IDE Arduíno.

Então vamos começar!!!

A biblioteca Blynk deve ser instalada manualmente, então vamos seguir esse passo a passo para não cometer nenhum erro.

1° Baixar

É necessário baixar a biblioteca do Blynk no site do GitHub, link abaixo.
Link direto Github oficial do blink: Click Aqui: GitHub
Irá aparecer essa janela para você como ilustrada na figura 2 abaixo:
Figura 2
Escolha a opção que está grifado e com a seta vermelha "Blynk_Realease_v0.6.1.zip" e baixe, logo depois descompacte o mesmo para podermos instalar.

2° Instalação

Após descompactar o arquivo Blynk_Release_v0.6.1.zip. Você notará que o arquivo contém várias pastas e várias bibliotecas. 
OBS.: Muitas vezes fazemos instalações da plataforma IDE Arduíno, e ficam pastas das antigas instalações, para não cometer erros, aconselhamos você encontrar a localização da sua pasta de bibliotecas direto no software da IDE, então; 

Vá para o menu superior na IDE Arduíno:
Selecione: Arquivo Preferências

Figura 3

Logo depois você verá na caixa de diálogo na aba:
Configurações Local do Sketchbook:
Na caixa de diálogo, você encontrará o endereço da biblioteca da IDE Arduíno.
Copie esse endereço

Figura 4

Abra o Windows Explorer, ou o Meu Computador
Na barra de endereço Cole o endereço que você copiou na IDE Arduíno, e pressione a tecla Enter


Figura 5

Dentro da pasta que você baixou e descompactou, virá duas pastas: libraries tools
Copie a pasta libraries para a pasta biblioteca da IDE Arduíno
Ficará assim como ilustrada na figura 6
Figura 6
Depois vá na pasta que você baixou novamente e Copie a pasta tools e Cole para a pasta tools da sua IDE Arduíno, como ilustrado na figura 7 abaixo.


Figura 7

Toda a estrutura da suas pastas da suas bibliotecas deverão ficar assim, junto com suas outras bibliotecas (se você os tiver):

Meu Computador / Disco Local / Arquivos de Programa(x86) / bibliotecas / Blynk
Meu Computador / Disco Local / Arquivos de Programa(x86) / bibliotecas / BlynkESP8266_Lib

Meu Computador / Disco Local / Arquivos de Programa(x86) / tools / BlynkUpdater
Meu Computador / Disco Local / Arquivos de Programa(x86) / tools / BlynkUsbScript

Lembrando que:
A pasta bibliotecas devem ir para bibliotecas e a pasta tools devem ir para tools

Você também pode acompanhar esse passo a passo em nosso canal no YouTube, logo abaixo.





Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click aqui - FVM Learning!!!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Como baixar Arquivos AdFly & EncurtaNet Passo a Passo

Como baixar Arquivos AdFly & EncurtaNet Passo a Passo


Olá a todos!!!

Hoje nós iremos aprender o passo a passo de como baixar arquivos com direcionadores como o AdFly e do EncurtaNet.
Iremos utilizar um exemplo para baixar de um artigo sobre um Pré-Amplificador onde dispomos o esquema elétrico e os arquivos GERBER e PCI. 

EncurtaNet

Seleciona a opção desejada, no nosso Site sempre tem essas duas opções, uma é do EncurtaNet e o outro do AdFly, seleciona a sua opção, como mostrado na imagem abaixo.



Após selecionar a opção desejada, 1 ou 2
Essa janela será mostrada como na imagem...




Desça até em baixo com o mouse e verifique o nome "CLIQUE AQUI PARA PROSSEGUIR"como na imagem abaixo



Após clicar, uma caixa de confirmação irá se abrir e lhe mostrará algumas imagens e lhe fará uma pergunta: No nosso exemplo, apareceu para marcarmos as imagens com a frente de uma loja.

Marque as imagens que você encontrar.


Logo após você clicar em verificar...
Abrirá a janela de DOWNLOAD...
Aguarde o contador de 9 Segundos...


Ao zerar a contagem de 9 segundos...
Click em Obter link....
A ultima opção.

Logo então, se abrirá a janela do servidor pelo qual está o arquivo para baixar, no nosso caso o Dropbox.



Click na parte superior direita onde está escrito Download
Abrirá duas opções
Direct Download =  Download direto - Para baixar direto no seu computador.
Save to my Dropbox = Salvar direto no dropbox - Se você quiser salvar na sua conta do dropbox.



Após clicar o arquivo irá ser baixado em seu computador.



AdFly

Como a do primeiro exemplo, selecione a opção desejada, como mostrado na imagem abaixo.

Após você clicar, irá aparecer a janela do AdFly e o contador de tempo deles na parte superior direita do site....

Aguarde os 5 segundos ser contados

Após a contagem do tempo, aparecerá na mesma parte superior direita a mensagem "de amarelo" SKIP AD = Sair do AD...
Click nele.

 Após clicar...
Aparecerá o servidor onde se encontra os arquivos para baixar
Escolha  na parte superior direita onde se encontrar a caixa de DOWNLOAD.
Como na primeira explicação
Escolha a opção desejada.



E pronto.

Qualquer dúvida, digita nos comentários que logos estaremos respondendo.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click aqui - FVM Learning!!!

Forte abraço.

Deus vos Abençoe

Shalom



segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Instalando Biblioteca do Modulo ESP8266 na IDE Arduino

Instalando Biblioteca do Modulo ESP8266 na IDE Arduíno

Para você que precisa instalar a biblioteca do ESP8266 na plataforma IDE Arduíno, iremos apresentar passo a passo a instalação do Módulo ESP na IDE Arduíno.

Para podermos instalar a Biblioteca na IDE Arduíno seguiremos alguns passos.

No entanto, é necessário verificar a versão da IDE que você tem instalada em seu computador, se sua versão for superior à versão 1.6.4, você já pode pular para o 2° Passo.

Para você que a versão é inferior a 1.6.4 ou não tem ainda instalado, você deve seguir o 1° Passo.
Pois só depois dessa versão que foi incrementado o suporte para instalação da biblioteca do ESP8266 na IDE Arduíno. Então vamos ao seguir.

1° passo:

Abra o navegador de sua preferência, digite o endereço no seu navegador www.arduino.cc ou click nesse Linkwww.arduino.cc

Depois que abrir a página do endereço do Arduíno, Click na aba SOFTWARE:


Click na aba DOWNLOAD:


Escolha  a sua versão de acordo com sua plataforma:
Windows, Mac OS ou Linux.

É muitíssimo importante você baixar a versão mais atualizada devido as atualizações conter correções de bugs, suportes a mais bibliotecas entre outros.


Click em: Just Download

Depois do download ser concluído:
Instale em seu computador seguindo os passos padrão de instalação.

2° passo:

Abra a IDE Arduíno.
Click em: ARQUIVO


























Click em: PREFERÊNCIAS























Click na aba CONFIGURAÇÕES























Vá até a caixa de dialogo onde está escrito:

URLs ADICIONAIS PARA GERENCIADORES DE PLACAS:


Então "COPIE" o endereço abaixo, e "COLE" na área em branco que diz:

URL's Adicionais para Gerenciadores de Placas:

http://arduino.esp8266.com/stable/package_esp8266com_index.json 


Depois click em OK, para confirmar.

3° Passo:

Click no Menu: FERRAMENTAS






















Click em: PLACAS


Click em: GERENCIADOR DE PLACAS























No gerenciador de placas desça até em baixo você deverá encontrar a biblioteca da placa com o nome de  ESP8266 by ESP8266 Community, aqui no lado direito na parte inferior você pressiona instalar.

Quando terminar a instalação. Reinicie sua IDE e está tudo pronto























Para confirmarmos que está tudo certo, abra a IDE Arduíno,  no menu FERRAMENTAS  e depois em PLACAS, na parte inferior do submenu você verá que já estará instalado os Módulos desta biblioteca, se o seu estiver assim, a instalação foi um sucesso, se não verifique volte, verifique as etapas, veja se você não deixou alguma coisa faltando.

Agora vamos selecionar o tipo de módulo ESP, no meu caso vou utilizar o NODE MCU ESP8266, irei selecionar-lo na versão 1.0 ESP8266-12E.

E estamos prontos para programar nosso ESP8266.

Para quem necessita aumentar o Clock do ESP8266 para trabalhar com 160Mhz, pode faze-lo clicando no menu: FERRAMENTAS, FREQUÊNCIA DO CPU


Por padrão ele já vem em 80Mhz.

É só mudar de acordo com a velocidade que você desejar.

Para quem deseja acompanhar passo a passo.
Nós temos esse passo a passo no nosso canal do YouTube.

Concluído

Obrigado a todos.

Se inscreva no nosso Blog!!! Click Aqui!!! FVML!!! 

Se inscreva em nossas redes sociais.

Deus vos abençoe.